16
Qua, Ago
1 Novas matérias

A Prefeitura Municipal de Adrianópolis em parceria com a APMI e a Assistência Social de Adrianópolis e a fabrica de cimentos Supremo festejaram o Dia das Crianças com a inauguração de duas novas obras na Vila Bela, com distribuição de doces e salgados além de muita brincadeira para a garotada.

O prefeito João Manoel Pampanini recebeu o Deputado Estadual Stephanes Junior, o Prefeito Eleito Alcides Bassete e seu Vice Vandir Veterinário além de vereadores e população para prestar homenagem a dois saudosos cidadãos Adrianópolitenses.

Praça Municipal Prefeito Argentino Milani

A construção da Praça e campo, Parque da Vila Bela foram construídos pela Supremo Cimentos em parceria com a Prefeitura em pagamento do aluguel pelo uso do campo da Vila Bela enquanto a fabrica estava sendo construída.
Agentino Millani foi Prefeito de Adrianópolis de 1983 à 1989 e veio a falecer no ano de 2013.

Sua esposa Adir Milani recebeu as homenagens e junto com o Prefeito João Manoel Pampanini fizeram as honras e inauguraram a praça.

CRAS José Candido Baptista Carvalho

A obra recebeu R$ 400 mil em verba Federal e foi construída ao lado da nova Praça, o prédio recebeu o nome do nobre cidadão tão conhecido e admirado por toda população, José Candido Baptista Carvalho, sua esposa e familiares acompanharam a homenagem que causou grande comoção à familia do seu Zé Candido, como era carinhosamente conhecido.

Toda mobiliada e pronta para o uso, a nova sede do CRAS já entrou em operação.

Cerca de 10 mil pessoas, de acordo com a Policia Militar, participaram, neste feriado de 1 de Maio em Curitiba, de um ato contra ações de repressão que o governador Beto Richa (PSDB) vem praticando contra manifestações populares, principalmente de professores a quais foram massacrados pela Polícia Militar a mando do próprio governo (chefe das policias) e do secretário de Segurança Pública, Fernando Francischine.

Professores, servidores, sindicalistas, estudantes e os mais variados movimentos populares abaixaram a bandeira do Brasil do mastro enfrente do Palácio Iguaçú, sede do governo paranaense, a meio mastro, e a bandeira do estado do Paraná foi descida por completo.

Este 1º de Maio de protestos contra a política do governo tucano paranaense é algo histórico em Curitiba.
Ali, hoje dia 1/05, deveria por tradição, ocorrer a Festa do Trabalhador provido todos os anos pelo governo e pelos sindicatos (ligados ao governo estadual), onde uma multidão de pessoas humildes da periferia lotam a praça enfrente ao governo para acompanhar os sorteios de automoveis, motos, etc., bem como shows de cantores famosos, mas hoje foi de luta e luto. A festa promovida pelo governador foi cancelada.

Dia 29 passado professores foram massacrados em praça pública, fato que entra nos anais da história paranaense como algo que mancha a vida politica-social e de lutas democráticas.

O Governo do Estado não respondeu aos e-mails enviados pel'A Folha.

O presente trabalho foi elaborado a partir de levantamentos de campo realizados pela Prefeitura Municipal, com o apoio da Equipe Técnica da Companhia de Saneamento do Paraná – SANEPAR, em decorrência de ser essa a concessionária prestadora dos Serviços de Saneamento de Água e Esgoto deste município desde o ano de 1.975.

Vislumbra-se com este trabalho, a definição de critérios para a implementação de políticas públicas municipais na área de saneamento, de forma a promover a universalização do atendimento, que compreende o conjunto de todas as atividades que propiciem à população local o acesso aos serviços básicos de que necessita, maximizando a eficácia das ações e resultados.

Almeja-se, também, com este trabalho a implantação de instrumentos norteadores de planejamento relativos a ações que envolvam a ampliação dos serviços e a racionalização dos sistemas existentes, obtendo-se o maior benefício ao menor custo, aliado ao desafio de oferecimento de serviço público de saneamento compatível.

OBJETIVOS E PRIORIDADES

O Plano Municipal de Saneamento Básico – PMSB tem por objetivo apresentar o diagnóstico do saneamento básico no território do município e definir o planejamento para o setor.

Destina-se a formular as linhas de ações estruturantes e operacionais referentes ao Saneamento Ambiental, especificamente no que se refere ao abastecimento de água em quantidade e qualidade, a coleta, tratamento e disposição final adequada dos resíduos líquidos, sólidos e gasosos, bem como a drenagem das águas pluviais.

O trabalho abrange a Sede Municipal e outras pequenas localidades do município selecionadas pela Prefeitura Municipal: Vila Mota, Sete Barras (Distrito de Porto Novo), Bairro das Provas (Capelinha), Perau, Epitácio Pessoa, Ribeirão do Rocha, Bairro Barra Grande, Bairro Descampado, João Surá (e outras Comunidades Quilombolas), já que existem 13 comunidades no município, para ser objeto de estudo neste plano.

O PMSB contém a definição dos objetivos e metas de curto, médio e longo prazo para a universalização do acesso da população aos serviços de saneamento, bem como os programas, projetos e ações necessárias para seu atingimento, nos termos da Lei 11.445/2007 – Lei do Saneamento.

METODOLOGIA

O Plano Municipal de Saneamento foi elaborado a partir de uma instância deliberativa de caráter popular, no qual a opinião da população somou-se ao conhecimento e planejamento técnico da concessionária de serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, no sentido de retratar interesses de forma precisa e responder demandas relevantes da comunidade envolvida.

A metodologia utilizada partiu do levantamento de dados cadastrais da concessionária, da realização de reuniões técnicas com a equipe da Prefeitura Municipal [2], da realização de pesquisas de campo para a atualização de informações e dados, associadas a reuniões com moradores e representantes de entidades da sociedade civil local, visando à apresentação e discussão das propostas e dos resultados obtidos ao longo do desenvolvimento do trabalho.

O processo de elaboração do Plano, ao envolver a mobilização e participação de técnicos locais, principalmente os do Poder Público Municipal e de instituições estaduais, representa a oportunidade inicial para a integração intra e interinstitucional, bem como para o diálogo e engajamento da sociedade civil organizada.

O Plano contempla, numa perspectiva integrada, a avaliação quali-quantitativa dos recursos hídricos e o licenciamento ambiental das atividades específicas – água, esgoto, resíduos sólidos, entre outros -, incluindo, ações locais de abastecimento de água, disposição final dos resíduos sólidos, manejo dos resíduos sólidos urbanos, considerando, além da sustentabilidade ambiental, a sustentabilidade administrativa, financeira e operacional dos serviços e a utilização de tecnologias apropriadas.

Assim, a partir do conjunto de elementos de informação, diagnóstico, definição de objetivos, metas e instrumentos, programas, execução, avaliação e controle social, foram possíveis construir o planejamento e a execução das ações de Saneamento no âmbito territorial do município de Adrianópolis e submetê-la à apreciação da sociedade civil.

Desse Modo, o produto materializado pelo relatório do PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO DO MUNICÍPIO DE ADRIANÓPOLIS é de grande utilidade para o planejamento e gestão dos serviços locais de Saneamento Ambiental, se constituindo em um norteador das ações a serem implementadas.
Importante destacar que se prevê a continuidade, avaliação e complementação permanente do presente Plano, na medida em que este é concebido como processo de planejamento e não como um documento que se finaliza no limite de um relatório conclusivo.

Desdobramentos a serem propostos, ações pontuais, emergenciais, bem como outros estudos complementares deverão ser executados e submetidos à análise conjunta de todos os envolvidos, para que observados os princípios norteadores da elaboração original do Plano não interrompa ou altere em demasia o processo de planejamento pactuado.


 

 

 

 

 

 

 




Esta é a pacata cidadezinha de Adrianópolis. Cidade tranqüila do Interior... Porém aqui, a natureza nos premia com sua exuberante beleza natural, aqui se vive mais perto de Deus, pois pisamos nesse chão sem medo de ser feliz!



 

 

"Andamos por este município e vemos sua caminhada, seu progresso. É um lugar de paz e, aos 52 anos, já é uma cidade "madura". Peçamos a Deus que, imbuídos deste espírito, as autoridades de Adrianópolis possam fazer esta cidade continuar crescendo" Adrianópolis é uma cidade, que conta com a sabedoria do povo e com a Mão de Deus para seguir trilhando o caminho do progresso e com esta celebração de aniversário, mais um passo será dado para o futuro".

 
 
 

A Administração Municipal busca o Crescimento Econômico Social combinado com a preservação da qualidade de vida do interior, o que é um privilégio para os seus moradores e um desafio constante para o Prefeito Municipal João Manoel Pampanini e sua Equipe de trabalho.

No entanto, desafios não são problemas para um município que tem História de Gente Hospitaleira, amiga, habituada ao trabalho duro no Campo e na Zona Urbana. Quem visita Adrianópolis, sai daqui com vontade de retornar. Muitos voltam e fixam moradas e se tornam mais um de nós. E esperamos que num futuro bem próximo muitos de nosso povo para cá retornem definitivamente.

Data de Emancipação Político Administrativo:

O Distrito de "PARANAÌ" foi desmembrado de Bocaiúva do Sul no dia 25 de julho de 1960, pela Lei Estadual n° 4245/60, tornando-se o Município de Adrianópolis, em homenagem ao fundador da Plumbum S.A- SR. Adriano Seabra da Fonseca- (Português de berço)-pioneiro na área de mineração nesta região. Data em que se comemora o aniversário da cidade com muitas festividades, incluindo rodeio, moto Cross, bailes, shows, maratonas, desfile das escolas e jogos de futebol, dentre outras.

 




 

A Campanha da Fraternidade é realizada anualmente pela CNBB - (Conferência Nacional dos Bispos no Brasil) durante o tempo da quaresma, com o objetivo de despertar a solidariedade dos seus fiéis para um problema concreto que abrange a sociedade brasileira. Para o ano de 2014, a CNBB escolheu como tema “Fraternidade e Tráfico Humano”, e lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1). O CD da CF possui cantos (para o tempo da quaresma e outras celebrações) do Ano A. Além disso, a obra traz canções a respeito do tráfico humano em suas várias formas e alerta a sociedade sobre esse grande problema.

A Campanha da Fraternidade, através da qual, aborda um diferente e urgente problema social do Brasil, contribuindo com propostas concretas capazes de se transformar em leis de defesa dos pobres e de toda a população, como o estatuto do idoso e a lei da ficha limpa. Os temas, nesses anos, têm sido os mais variados, relacionados ao trabalho, família, menores abandonados, idosos, negros, indígenas, juventude, justiça e cidadania, ecologia, saúde, educação e outros. Temas que são acolhidos e refletidos em sessões nas casas legislativas municipais, estaduais e federal. Esse ano, com o tema ‘Fraternidade e Tráfico Humano’ e o lema propõe que a nação brasileira encare a chaga social do tráfico de pessoas. Ligado ao tráfico de armas e de drogas, é um crime pelo qual pessoas são aliciadas e traficadas para a exploração no trabalho, o comércio de extração de órgãos e a exploração sexual. Presa fácil desse aliciamento são os mais pobres, mulheres, crianças, que veem em certas propostas atraentes uma possibilidade de vencer, com melhores condições de vida em outras cidades ou países. As famílias precisam estar atentas a possíveis e sutis aliciamentos.

O território brasileiro se insere no cenário mundial do tráfico de pessoas como rota de passagem por onde agem os traficantes. Outro dado é que o tráfico movimenta soma altíssima de dinheiro e o número de vítimas aumenta a cada ano. A Igreja propõe agir em três direções: prevenção, assistência às vítimas e incidência política. Atua na conscientização e no acompanhamento das vítimas, ajudando-as a superar traumas, como fazem a pastoral da mulher marginalizada, no auxílio às vítimas da exploração sexual, e a Comissão Pastoral da Terra (CPT), no apoio às vítimas da migração para o corte da cana e outras situações que se configuram como trabalho escravo. O recrutamento ao trabalho degradante é feito por intermediários (‘gatos’) de patrões invisíveis. A Campanha da Fraternidade quer contribuir, à luz da fé cristã, para que a sociedade brasileira, protegida por leis mais rígidas e controle eficaz por parte dos órgãos públicos, possa identificar a incidência do tráfico humano e não se omitir diante desse silencioso e lucrativo delito que fere violentamente a dignidade da pessoa humana.


Objetivos desta Campanha da Fraternidade:

 

Objetivo Geral Identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-lo como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus.

Objetivos específicos
1. Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos que sofrem com essa exploração.
2. Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano.
3. Reivindicar, dos poderes públicos, políticas e meios para a reinserção das pessoas atingidas pelo tráfico humano na vida familiar e social.
4. Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania das pessoas em situação de tráfico.
5. Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza ao empenho transformador dessa realidade aviltante da pessoa humana.
6. Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo, sensibilizando para a solidariedade e o cuidado às vítimas desse mal.

Entenda o significado do cartaz:
O cartaz da Campanha da Fraternidade quer refletir a crueldade do tráfico humano. As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados e o seu sentimento de impotência perante os traficantes. A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente.

 

A MARGEM-Companhia de Mineração ,convida a toda a população de Adrianópolis e principalmente a  comunidade do km 04 para participar de uma reunião no dia 13 de Novembro com início as 19horas na APAE de Adrianópolis(antiga escola Vidal Mottin). O objetivo desta é apresentar o andamento das obras da nova fábrica e os programas sócio-ambientais realizados pela empresa Margem.Também será apresentada a palestra cujo tema é: Minérios de Adrianópolis e Região".Participem sua presença é indispensável!

Atenciosamente,

Comissão de Meio Ambiente-(Empresa Margem).

Foto: Charmaine U.S

Criativas e chamativas as unhas de jornal fazem sucesso.

 
 

Pelo nome todo mundo pensa "Colar o jornal na unha, isso não deve ficar legal!". Mas não funcionam assim, elas são muito criativas, fáceis de fazer e ficam lindas. Vamos ensinar você a entrar na nova onda.

Materiais necessários:

- Esmalte Branco ou claríssimo.

- Pequenos pedaços de jornal.

- Álcool

- Esmalte incolor

Procedimento:

- Pinte as unhas com o esmalte claro, espere seca-las. Após bem secas mergulhe as unhas sob o álcool e retire-as, pressione o jornal sobre a unha molhada com o álcool por aproximadamente 10 segundos. Retire com cuidado o jornal e por fim, passe o esmalte incolor pra maior durabilidade.

Viu como é fácil, rápido e fica muito linda? Jornal de diferentes línguas fica mais interessante!

Página 1 de 6