24
Ter, Out
1 Novas matérias

Após mais de quatro meses fechado, reabriu no último dia 18 de maio, o Cartório Distrital do município de Adrianópolis - PR.

Foi nomeado para a função o até então advogado, Dr. Bernardo Zanellato Vicentine, que assume a vaga deixada em aberto desde o início do ano, quando o antigo Cartorário, Dr. Jader Luiz Ribeiro, foi transferido para a comarca de Francisco Beltrão, no sudoeste do estado.

Segundo o Dr. Vicentine os trabalhos continuam os mesmos, mesmo com o grande acúmulo de serviço devido ao interrompimento do atendimento. 

O Cartório continua no mesmo endereço, na Rua Jacinto Staub, nº 8, no centro. 

Já o horário de funcionamento mudou, agora é de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 11h30 e das 13h30 às 17h00.

O Grupo Escoteiro Paranaí 321 se prepara para realizar neste sábado, dia 20, o EducAÇÃO ESCOTEIRA, um projeto dos Escoteiros do Brasil que será realizado anualmente, sempre no terceiro sábado do mês de maio, executado dentro de espaços de instituições de ensino, oferecendo aos estudantes a oportunidade de interagir com crianças, adolescentes e jovens do Movimento Escoteiro em atividades de alto valor educativo. A ideia central do projeto é levar o Grupo Escoteiro ou Seção Escoteira Autônoma para dentro da escola, na mesma data, em todo o Brasil, a expectativa dos Escoteiros do Brasil é chegar à 1.200 estabelecimentos de ensino simultaneamente nesse sábado, quando será realizada a primeira edição do evento.

Foto: Divulgação.

O GE Paranaí 321 escolheu a Escola Estadual Diógenes Ribeiro de Lima, na cidade de Ribeira para realizar a ação deste ano, o evento ocorrerá das 14 às 16 horas deste sábado dia 20 de maio, aproveitando o já em andamento Projeto Escola da Família que a Escola Diógenes já realiza aos finais de semana. 

Segundo a Chefe Sênior do GE, Tatiane Pogogelski, grupo foi fundado em outubro de 2013 através de um Projeto do Estado do Paraná, o Escotismo na Escola, com somente uma tropa de Escoteiros de 11 à 14, em janeiro de 2016, com o fim do Convênio entre Governo do PR e União dos escoteiros dos Brasil, o projeto foi desvinculado, porém o GE Paranaí 321 não encerrou as atividades, pelo contrário vem crescendo desde então, em 2016 foi criado a tropa Sênior com jovens de 15 á 18 anos e agora em 2017 foi criado a primeira Alcatéia, os Lobinhos que tem de 6,5 à 10 anos.

O Escotismo é um movimento educacional que, por meio de atividades variadas e atraentes, incentiva os jovens a assumirem seu próprio desenvolvimento, a se envolverem com a comunidade, formando verdadeiros líderes. Eles acreditam que, por meio da proatividade e da preocupação com o próximo e com o meio ambiente, pode-se formar jovens engajados em construir um mundo melhor, mais justo e mais fraterno.

Quem tem interesse no projeto e no grupo de Escoteiros podem utilizar o Facebook do GE Paranaí 321 para entrar em contato.

Depois de mais um mês de obras, a Margem Companhia de Mineração (empresa do Grupo Supremo Cimento) estará realizando mais uma reunião com a comunidade de Adrianópolis e região.

A pauta que foi apresentada confere uma conversa sobre os andamentos das obras da nova fábrica, os andamentos dos programas sócioambientais e uma palestra sobre a hidrogeologia da Vila Carumbé, logo após será realizado um coquetel para os presentes.

Nesta nova reunião o local a ser usado pela empresa será a Câmara Municipal de Adrianópolis, no dia 27 de março de 2013. Nesta Quarta-feira. A reunião está marcada para as 19h00.

A Folha de Adrianópolis gostaria de agradecer a todos os apoiadores da campanha SOS Adrianópolis, promovida pelo nosso Jornal, que arrecadaram alimentos, água potável, móveis, roupas, e eletrodomésticos para a população afetada pela enchente de 2011.

Um agradecimento especial a equipe do Comitê de Responsabilidade Socio-Ambiental da empresa CINQ Technologies de Curitiba, liderada pelos colaboradores Gisele Zanchim, Daiana Rosa e Lauro Roger McAllister, também aos alunos do Grêmio Estudantil e a Diretora do Colégio Severo de Tunas do PR, os Condomínios Cassiopéia e Quintas do Cabral em Curitiba, a senhora Inês Müller Paz junto com sua filha Luíza Müller Paz pela ajuda incansável em prol da comunidade de Adrianópolis e Ribeira.

A Folha de Adrianópolis liberou as doações aos cuidados da Prefeitura Municipal de Adrianópolis junto com a Secretaria de Ação Social que ficaram de fazer a distribuição para as famílias que mais precisavam e também foi solicitado que fosse registrado o momento com fotos e/ou videos para comprovar aos nossos doadores e para que as empresas pudessem mostrar o fim de suas ações, porém a Secretaria de Ação Social de Adrianópolis Karoline Crevelin se recusou a enviar qualquer material À Folha e mesmo após várias ligações e e-mails, eles ainda não cooperaram com a divulgação. Reiteramos que a campanha é uma ação de empresas privadas e a Prefeitura de Adrianópolis somente nos ajudou com o caminhão que foi enviado à Curitiba.

O gabinete do prefeito João Manoel Pampanini disse À Folha que solicitou Secretária que enviasse os arquivos, porém tal fato nunca aconteceu. 

A Campanha SOS Adrianópolis e Ribeira exigiu a Prefeitura que se fizesse uma lista das famílias que tinham sido atingidas e de suas prioridades e visava distribuir de forma a priorizar as famílias que mais precisavam, os mais atingidos e os que mais perderam nas cheias do Rio Ribeira, porém o que se viu, foi uma deliberada ação do: "Peguem o que quiserem", sem nenhum tipo de controle de necessidade ou acompanhamento de famílias. 

A Folha recebeu denuncias de que pessoas que nem foram atingidas pelas cheias usufruíram de uma espécie de "tempo" dentro do local onde as doações foram estocadas e que a cidade de Ribeira não recebeu nada, nem um galão de água.

Indagado pel'A Folha de Adrianópolis, Karoline Crevelin alegou que não havia tal lista ou qualquer tipo de controle sobre as famílias atingidas por isso a impossibilidade de haver um controle sobre a distribuição destas doações. O que vemos com uma falta de respeito com os atingidos, com os doadores e com a população, que vê uma gestão incapaz de cuidar de uma tarefa simples e de tamanha importância para seus cidadãos.

A Folha de Adrianópolis pede desculpas a seus doadores, famílias atingidas e a população de Adrianópolis e Ribeira e fazemos questão de reforçar que a solidariedade é maior que um problema de má gestão e incompetência. E que para futuras ações sociais iremos garantir que o planejamento seja INTEIRAMENTE feito pela nossa equipe e a iniciativa privada, que se provaram ser muito mais capazes e eficientes que a publica nesse caso.

Mais uma vez, nossas sinceras desculpas e nosso muito obrigado.

"Não pode cair uma gota que a luz acaba"

"Não dá para assistir um vídeo sem travar"

Acho que todos estamos acostumados com essas reclamações, não é mesmo? E sobre valores cobrados bem acima dos contratados; gastos com luzes de emergências; ilhados por falta de comunicação; perda de produtos que necessitam de refrigeração; velocidade contratada nunca é nem perto da que você recebe, etc...

Poderíamos passar horas e horas detalhando todos os problemas relatados por nossos leitores, que incansavelmente nos pedem que abordemos esses assuntos, através de e-mails e nossos canais sociais na internet. 

O que acontece a mais de 10 anos em nossa cidade é que não possuímos uma rede elétrica eficaz e os serviços de celular, fixo e internet são precários. 

Oi

A empresa esta tentando se livrar da falência, com os caixas no vermelho a empresa se rasteja e prevem até venda sua divisão móvel (segundo a nota À Folha a Oi destacou: "No plano de recuperação judicial o que consta é que vender a parte móvel da companhia é uma alternativa, mas não pretendemos vender somente em último caso, como alternativa."). 
A Oi se instalou em Adrianópolis na compra da antiga Brasil Telecom em 2009, que passou a gerenciar a então única torre de celular GSM na cidade, desde sua instalação a rede da Oi não sofreu atualizações e até hoje não conta nem com uma rede 3G, quanto menos 4G. As bandas utilizadas e a tecnologia adotada são arcaicas. Dependendo do horário, devido ao numero de acesso a dados móveis a rede simplesmente fica inacessível. 
A rede de fixo e internet também segue a mesma linha de antiguidade, ainda não há fibra ótica que chegue a Adrianópolis e o link de internet disponível para a cidade esta a anos defasado, isto é, com 45GB disponível (numero estimado, ainda sem confirmação da operadora), e a cidade contando com muitos usuários deixa a rede sobrecarregada, pois há vários clientes utilizando 2, 4, 8, 10 e 15 Megas. Além da rede ficar lenta se junta as reclamações de indisponibilidade no serviço, valores cobrados dos quais não correspondem com o contratados, além de problemas com contato ao suporte da operadora. 
O Oi Fixo tem tido as mesmas reclamações, há dias em que o sinal cai e ficam dias sem uma resolução. Em uma matéria d'A Folha, ao entrarmos em contato com a Oi, o atendente disse que não tinha o que fazer pois só havia tido uma única reclamação que era da nossa redação, ao ser publicada a matéria recebeu vários comentários de clientes da operadora dizendo que eles também já tinham ligado e reclamado inúmeras vezes. 

Esses problemas tem ocorrido cada vez com mais frequências.

Resposta da empresa

Em resposta a essa matéria a Oi mandou nota À Folha dizendo:

A Oi informa que cumpre os critérios de cobertura determinados pela Anatel em Adrianópolis, atendendo área superior a 80% do polígono urbano. A empresa já investiu mais de R$ 81 milhões no Paraná no primeiro semestre de 2016 priorizando investimentos em suas redes de telecomunicações como uma das estratégias do plano de transformação operacional da companhia para melhoria da qualidade do serviço aos clientes em todas as regiões. No período foram ampliados ou modernizados 74 sites de telefonia móvel e 26 novos sites foram implantados no Estado. Sites são locais onde ficam as antenas que realizam a transmissão do sinal do serviço móvel. A companhia também instalou 5.446 novas portas para o serviço de banda larga fixa. A Oi acrescenta que estuda constantemente a expansão de sua cobertura móvel e de banda larga, de acordo com critérios técnicos e mercadológicos.

A empresa também negou estar com os cofres no vermelho, "Não temos caixa no vermelho e já investimos r$ 2,4 bi em todo brasil somente neste ano de 2016."

 

TIM

Hoje a cidade conta com uma torre mais nova e moderna da operadora TIM, embora a torre disponibilize sinal 3G e tenha uma abrangência maior de sinal e bandas, quando recebemos ligações a maioria das vezes não se houve a outra pessoa, mas sim um ruído alto o que impacta e muito na hora de optarmos por esse serviço, por mais que a internet 3G seja de qualidade superior a da Oi.

Resposta da empresa

Em nota a TIM respondeu a essa matéria dÀ Folha dizendo:

Na cidade de Adrianópolis, a cobertura da TIM atende aos padrões exigidos pela Anatel e equipes realizam acompanhamento diário da performance da rede. Dentro da política de transparência com o cliente, a TIM disponibiliza a cobertura oferecida aos clientes no site da empresa. A operadora informa que com base nas informações repassadas fará análise de rede na cidade.

A TIM salienta, no entanto, que a cobertura de uma rede de serviços móveis pode ser afetada por uma série de fatores, tais como: vegetação, edificações, topografia, etc. A empresa reitera que tem a satisfação dos seus clientes como prioridade estratégica e investe constantemente na melhoria da qualidade dos serviços e atendimento em todo o Brasil. No triênio de 2016 a 2018, a operadora investirá R$ 12,5 bilhões no Brasil, em especial para o desenvolvimento de infraestrutura de rede para garantir a melhor experiência do usuário.

 

Copel

A estatal tem o maior número de reclamações na cidade e muito se falou sobre o melhoramento da qualidade de sinal nos últimos anos, porém nada mudou. A Folha possui várias matérias abordando o assunto da péssima qualidade do serviço no município. Recentemente a Copel construiu uma rede nova que abastece somente uma fabrica de cimentos na cidade, porém a população ainda sofre com a antiga e precária rede elétrica que nos deixa à mercê de interferências externas e internas na rede da empresa.
Nossa cidade vizinha, Ribeira - SP, também na divisa de estado, conta com qualidade muito superior de sinal e as quedas de energia são raras, lá a empresa responsável é a AES Eletropaulo enquanto em Adrianópolis, abastecida pela Copel, quedas, oscilações e interrupções são constantes no dia-a-dia dos cidadãos.
Perda de eletrônicos, itens de consumo, equipamentos de refrigeração, além de equipamentos médicos que precisam de energia elétrica para seu funcionamento são afetados por esses eventos.
A empresa recentemente renovou o cabeamento dentro do centro do município, porém a subestação e rede que traz a energia até a cidade ainda precisam de inúmeras melhorias para ter um serviço no mínimo mais estável.

Resposta da empresa

A Copel entrou em contato com A Folha e o A50:

A Copel ressalta que está com ações contínuas para a melhoria da qualidade de fornecimento de energia aos habitantes de Adrianópolis. A Companhia realizou recentemente manutenção preventiva no Alimentador Plumbum, que atende a maior parte do município, com substituição de diversos equipamentos por itens novos.

Em outubro, as equipes da Copel farão também a roçada da área próxima ao alimentador. Outra ação realizada foi a roçada das áreas próximas às linhas que ligam Adrianópolis a Cerro Azul e a Tunas do Paraná e são as principais fontes de fornecimento de energia ao município.

Para melhorar a qualidade do atendimento, em 2016, a Copel está disponibilizando uma nova equipe para atendimento especial ao município. A Companhia também abriu recentemente um “Centro de Manutenção” no município, com equipe lotada para atendimento aos casos mais graves.

Além disso, a Copel está estudando a aplicação de recursos para modernizar a rede da região nos próximos anos.

 

E para você, qual a pior empresa de serviços que opera na cidade? Entre em contato conosco através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou através de nossas redes sociais: Facebook / Twitter.

Nós continuaremos avaliando essas empresas e esperamos um dia poder contar com serviços dignos do preços que pagamos.

A Margem Companhia de Mineração enviou um cominucado a população de Adrianópolis e região para um evento do dia 25 de janeiro em que irão apresentar seus planos de trabalho, o que foi feito e o que ainda tem a acontecer, como forma de transparencencia e informação a empresa que começou suas instalações no ano passado já se encontra em um estágio avançado de construção.

O evento ainda contará com uma palestra sobre Educação Patrimonial que visa envolver a comunidade na gestão do patrimonio cultural. Isso se deve em fato maior as exigências do IPHAN/PR (Instituto do Patrimonio Histórico e Artistico Nacional) que devido a dois Sítios Arqueológicos que foram encontrados no local de construção.

Os Sítios Arqueológicos

Foram localizados dois sítios arqueológicos singulares. Um dos sítios resgatados apresentou um número expressivo de fogueiras concentradas e material cerâmico pré-histórico que foi associado a grupos indígenas do tronco linguístico Jê, que habitavam todo o planalto sul brasileiro, como qualquer patrimonio é assegurado, há uma série de quesitos que precisam ser seguidos e isso também será abordado no encontro.

Abaixo encontra-se o comunicado na integra enviado pela empresa:

Convidamos toda a população para participar do Encontro com a Comunidade, cujo objetivo é apresentar o andamento das Obras da Nova Fábrica e os programas sócio-ambientais realizados pela empresa Margem Companhia de Mineração. Nosso encontro para o mês de Fevereiro será realizado na APAE – Km 4, no dia 25 às 19h00, onde também será apresentado uma Palestra de Educação Patrimonial, sobre os Sítios Arqueológicos resgatados nas obras da nova fábrica, e os procedimentos para atendimento pleno às exigências do IPHAN/PR.

 

O Grêmio Estudantil "CMR" do CESB , lançou uma campanha solidária pelos atingidos pela enchente em Adrianópolis, que vai desde o dia 18 a 25 de Agosto com a entrega de alimentos não perecíveis ou outras doaçães em Utilidades domésticas que deverão ser entregues na Secretaria do CESB e que depois serão repassadas á Secretaria de Assistência Social que conhece as necessidades mais relevantes para suprí-las.Temos também, a contribuição de doação do Gremio Estudantil do Colégio Severo de Tunas do Paraná que nos enviaram suas doação as quais agradecemos de coração pelo lindo sentimento de solidariedade demosntrado ao nosso povo.Deus os abençõe por se permitirem abrir os corações desta comunidade em prol daqueles que necessitam neste momento da contribuição de quem colaborou.

Página 1 de 3