24
Ter, Out
1 Novas matérias

URGENTE: Josias "Cartucho" confessa o crime e diz o real motivo

Policial
Tipografia

Josias de Matos Freitas vulgo "Cartucho" de 23 anos, acusado de matar Anderson Vinicios de Souza da mesma idade, em um crime que chocou a pacata cidade de Adrianópolis, está nesse exato momento no Cartório da Delegacia de Bocaiúva do Sul onde está confessando o crime e dando todos os detalhes e principalmente o motivo do crime.

Em entrevista ao A50, o Delegado Mario Bradock disse que o crime foi solucionado e encerrado, Josias atirou e matou Vinicios com a própria arma da vitima, e depois cortou a sua cabeça, José Luiz teria atirado no corpo com ele já sem vida e ajudado na ocultação do cadáver.

O Motivo
Embora a principal linha de investigação tivesse sido o esquema do PRONAF (Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar), onde há suspeitas de que Vinicios seria um "laranja" da quadrilha que usa o programa para fins de enriquecimento ilícito, "...eles contratam pessoas para serem 'laranjas' e dar entrada no PRONAF, pegam valores altíssimos de mais de 250, 300 mil reais e dão para esses laranjas 60, 80 mil e ficam com o resto", porém a hipótese de que esse crime em sí tenha sido uma queima de arquivo, foi descartada.

O real motivo teria sido uma "richa antiga", Josias e Vinicios já estudaram juntos, jogavam bola juntos e o temperamento de Vinicios, sempre explosivo teria gerado um ódio contido por muitos anos, que na noite de quinta-feira (9), chegou a uma vingança jamais vista na cidade. "o menino que faleceu era briguento, até quando iam jogar bola e tinha uma entrada meio forte nele, ele já parava e queria partir pra cima brigar, e tal, ele andava sempre armado, e nesse dia ele estava com duas armas, na hora que ele convidou os meninos para irem caçar, ele passou uma arma pro cara que atirou nele.., ...o cara aproveitou e atirou com a própria arma da vitima." conta Bradock. "devido ao uso de álcool, drogas e ele ainda estava com aquele sentimento de vingança, foi um momento de loucura" continua.

Na entrevista que Cláudio Santos, dono do bar onde os três estavam, deu ao A50 no Sábado, ele contou que os dois suspeitos saíram de lá muito bebados e já haviam chego no estabelecimento sobre efeitos de drogas, o que intensifica a confissão dos dois assassinos. 

Cada um vai a julgamento e poderá pegar até 25 anos de prisão.

No Sábado dia 11 de Fevereiro, José Luiz de Pontes de Lima, já havia confessado o crime, e deu a mesma versão do motivo, porém a policia ainda trabalhava com outras duas linhas de investigação.

Ainda segundo Bradock, as investigações agora estão encerradas, "temos os elementos presos, temos o motivo e temos as armas presas, agora já está concluso".

Ao ser questionado sobre a investigação do PRONAF, Bradock disse que as investigações seguem, mas agora separadamente. Não querendo citar nomes, Bradock disse estar envolvidos pessoas grandes no esquema, até pessoas de dentro de uma agência do Banco do Brasil.