19
Qui, Out
1 Novas matérias

Assassinos confessam crime brutal de Adrianópolis

Policial
Tipografia

Adrianópolis, 11 de fevereiro. Com apenas 48 horas de investigação a Polícia Civil de Bocaiuva do Sul comandada pelo Delegado Bradock, conseguiu iniciar as investigações, prender os suspeitos e ainda conseguiram a confissão de um dos dois criminosos do bárbaro crime que chocou Adrianópolis
O rápido trabalho e desenvolvimento das investigações da Polícia Civil começou assim que chegaram ao local na noite de quinta-feira (10).

O primeiro suspeito preso foi José Luiz de Pontes de Lima de 30 anos, foi preso em sua casa, no mesmo bairro onde aconteceu o crime. Segundo Bradock, ele acabou comentando com uma outra pessoa o que havia acontecido e isso foi determinante para chegar aos suspeitos. O segundo e principal suspeito, acusado de ter atirado em Vinicios, Josias de Matos Freitas vulgo Cartucho de 23 anos, tentou fugir da cidade, logo depois de terem descoberto o corpo, segundo agentes da saúde, ele deu o nome para viajar à Curitiba com o ônibus da saúde que saiu as 4 da manhã da sexta-feira (11). 
Com a rápida ação, o ônibus foi parado por policiais em Bocaiúva do Sul e Cartucho acabou sendo preso em flagrante. 

 

Na delegacia, ao ser interrogado, José Luiz confessou o crime e contou com detalhes como foi toda a ação, desde o disparo até a decapitação e o ocultamento do cadaver. 

O A50 entrevistou o Delegado Bradock com exclusividade, na tarde deste sábado (11). Confira um trecho:

A50: O Josias "Cartucho", confessou o crime também?

Bradock: Não, o cara agiu e tem sangue frio, ele só debocha, da risada na nossa cara e não fala nada. 

A50: No momento que antecedeu o crime, houve discussão, briga ou ameaça?

Bradock: Nada! O Vinicios foi pego de surpresa com um tiro por trás. Não houve nada de discussão, foi brutalidade e covardia. Sem chance de defesa. 

A50: Houve apenas um tiro? Levantamos que havia golpes na cabeça também, isso é correto?

Bradock: Exato! Aparentemente foram dois golpes de facão ou um de facão e um de enxada. Somente a perícia pode nos dizer. 

A50: Eram somente os dois juntos com o Vinicios na hora do crime mesmo ou havia um terceiro cúmplice?

Bradock: O que ele relata é que eram apenas os dois, porem, eu não descarto a hipótese de ter havido mais pessoa, na verdade até acredito que havia um terceiro sim. Mas vamos continuar as investigações na segunda-feira (13).

O motivo que levou a morte e decapitação de Anderson Vinicios continua um mistério.
Mas já sabemos que existem duas linhas de investigação.
A primeira é que possa ter sido um crime passional, que é quando um crime é praticado por paixão doentia, quando a pessoa perde o controle de suas ações, que mata ou manda matar por ciúme, sentimento de traição ou vingança.
Se esse caso se confirmar haveria então um terceiro suspeito que teria encomendado o crime. 
A Polícia até já tem um nome, mas não podemos divulgar por sigilo das investigações. 

Ou o motivo teria sido por acerto de contas.

Os dois criminosos encontram-se presos em flagrante na carceragem da Delegacia Local de Bocaiuva do Sul a disposição da Justiça e responderam pelo crime de Homicídio Qualificado e Ocultação de Cadáver podendo pegar mais de 25 anos de cadeia cada um dos autores do crime.