25
Dom, Jun
2 Novas matérias

A Folha de Adrianópolis foi convidada para uma sessão especial somente para convidados no IMAX do Shopping Palladium no dia 17 de dezembro para assistir ao filme TRON: O LEGADO, remake da Disney sobre um dos maiores clássicos do cinema mundial. 28 anos desde o lançamento de um filme que revolucionou a história do cinema, Tron: Uma Odisseia Eletrônica com muita computação gráfica e ficção científica, e acabou se tornando, após alguns anos, um filme cult. Hoje a Disney promete ainda mais, efeitos visuais de tirar o folego, computação gráfica de ultima geração e é claro a tecnologia 3D.

TRON: O LEGADO é uma aventura ambientada em um mundo digital diferente de tudo que já foi visto antes na tela do cinema. Sam Flynn (GARRETT HEDLUND), o especialista em tecnologia de 27 anos filho de Kevin Flynn (JEFF BRIDGES), investiga o desaparecimento do pai e se vê preso no mesmo mundo povoado por programas ferozes e jogos fatais onde seu pai vive há 20 anos. Junto com sua fiel confidente Quorra (OLIVIA WILDE) Kevin, pai e filho embarcam em uma jornada de vida e morte por um universo cibernético visualmente deslumbrante que se tornou muito mais avançado e extremamente perigoso.

Afinal como uma pessoa pode programar um filme de um roteiro genial? Essa deve ser uma das perguntas que alguém após assistir um filme tão bem elaborado como Tron deve fazer ao sair do cinema, com um cenário incrível e a junção de um elenco e roteiro impressionante. O cenário é uma junção da realidade do “nosso mundo” e a realidade de Tron, ligada a programas, softwares e todas aquelas coisas que a tecnologia tem para nos entreter. Uma aventura fantástica em um mundo paralelo ao nosso, um mundo moderno e cibernético, repleto de ação.

Durante o decorrer do filme percebemos as diversas morais e principalmente uma mensagem de esperança, um aviso tecnológico à todos, aquela velha história “a tecnologia, se bem usada, pode ser fruto de muita coisa boa”, vemos nos “vilões” o perigo da ideia do “perfeito” e o conflito entre criatura e criador que são iguais pelo motivo óbvio de terem as mesmas características e as mesmas vontades de dominação.

A sua trilha sonora, bem adequada a cada cena do filme, é de tanta expressividade que nos faz sentir todas as emoções das batalhas que se passam na história. Envolta por muita música eletrônica, é a mistura perfeita para agradar muitos jovens. Inclusive a música foi composta pelo vencedor do Grammy, Daft Punk.

Tron é um filme da Disney que como sempre vai muito além da sua grande produção e dos maravilhosos óculos 3D que te fazem viajar por um mundo fantástico. Este filme faz o espectador entrar no enredo e o entender mais profundamente como uma análise social, política do que vivemos hoje, quem sabe um fundamentador de novas ideias e uma chave inspiradora para esperanças de um mundo melhor. Assitir em um IMAX é sempre diferente, é uma experiência completamente nova e única, a tela gigante te leva para dentro do filme, parecendo que você pode interagir com o filme. Como no Brasil só tem 2 salas de cinema IMAX fica complicado o publico conhecer essa nova tecnologia, porém a parte fácil é que a maior da américa latina fica em Curitiba no Shopping Palladium no bairro Portão, ao lado do terminal. Uma experiência inigualável, a qual recomendamos.

A direção é de Joseph Kosinski, e o elenco é com Michael Sheen, Jeff Bridges, Olivia Wilde, John Hurt, Garrett Hedlund, Serinda Swan, James Frain, Bruce Boxleitner e Beau Garrett.

Além do filme foi lançado simultaneamente um jogo de Tron exclusivo para PlayStation 3, Xbox 360, Wii, PSP e Nintendo DS, jogo Tron: Evolution traz as aventuras do filme para os consoles mais populares, além de duas faixas exclusivas da dupla francesa Daft Punk, laçado pela Disney Interactive. A versão para o Sony PlayStation 3 pode ser jogado em 3D.

Veja abaixo o trailer oficial apresentado pelos protagonistas de Tron:

Duas tecnologias inovadoras, juntas, revolucionando o cinema e a maneira de como nós assistimos filmes nos cinemas.

Para não perder o mercado para a internet, como vem acontecendo com a indústria fonográfica, uma empresa do Canadá, criou uma nova maneira de se fazer filme, o IMAX.  Embora esse tipo de cinema já exista desde 1970, ele tem se aprimorado cada vez mais com novas tecnologias e com maior números de títulos.

No Brasil, existem, por enquanto, apenas 2 salas IMAX, uma em São Paulo e outra no Shopping Palladium em Curitiba, a maior da América Latina, com 347 lugares, equipada para exibir filmes em 3D de ultima geração, como o filme Resident Evil 4: Recomeço que foi filmado com a mesma câmera desenvolvida por James Cameron para rodar Avatar, o que te faz ver o filme em 3 dimensões devido a sua tecnologia com duas lentes e dois rolos.

 

Fãs da franquia Resident Evil, lotaram os cinemas de todo o mundo durante sua semana de estréia e no Brasil não foi diferente. “Depois de acompanhar as histórias dos jogos, dá uma ansiedade de assistir ao filme, com certeza.” Diz Thiago Zanão, jogador do game Resident Evil 4, da Franquia Resident Evil (Biohazard, no Japão) criado pelo japonês Shinji Mikami, lançado pela Capcom para GameCube, PlayStation, PC, Wii e até para celulares, considerado um dos melhores jogos “suvivor action/horror” já produzidos, hoje  já existe o Resident Evil: 5 junto com o Gold Edition. Para Marcelo Brasil, a diferença de assistir um filme no formato IMAX é incrível.

 

O IMAX
Filmado com uma câmera especial, muito maior e mais pesada que as câmeras comuns, agora tem mais peso, pois para gravar um filme em 3D, ela precisa comportar dois rolos, um para cada olho, as lentes, separadas cerca de 6 cm (distancia média entre os olhos humanos) as lentes capturam imagens tridimensionais, que com a ajuda de óculos especiais 3D, possam criar o efeito de profundidade em três dimensões, que parece com que as imagens saltem da tela. Se nas antigas tecnologias 3D que usavam aqueles óculos vermelhos e azuis, já era quase inevitável desviar de um avião voando em direção à tela, achando que ele iria bater em você, hoje com o IMAX 3D você vai se assustar de verdade com o realismo e ficará tentado a “tocar” as imagens que saltam da tela, mesmo por que o campo de visão é 6 vezes maior que uma tela comum, a sala do Dom Bosco IMAX Theatre 3D, conta com uma tela enorme de 300 m2 (cerca de 10 mil por 7 mil pixels, o que cobre quase toda a visão do espectador, pois a tela é mais côncava que  as salas convencionais e as disposições dos assentos  foram cuidadosamente planejadas para envolver o público com o filme.

O Filme
O filme Resident Evil 4: Recomeço, só na sua semana de estreia, arrecadou cerca de US$ 73,2 milhões, ficando com o 1º lugar das bilheterias nos EUA, só para se ter uma noção do sucesso do filme, os 6 outros primeiros colocados, juntos, não chegaram ao valor que Resident Evil 4 alcançou somente nos dois primeiros dias de exibição, US$ 27,7 milhões. Dirigido pelo mesmo diretor do primeiro filme da série, Paul W S Anderson, que também dirigiu os exagerados Alien vs Predador (2004) e Mortal Kombat (1995) e marido da estrela do filme Mila Jovovich que encabeça o filme desde seu início, como o Projeto Alice, talvez, uma das culpadas pelo T-Vírus ter escapado e contaminado toda a raça humana (ver filme Resident Evil: Hospede Maldito, Resident Evil: Apocalipse e Resident Evil: A Extinção.), no Recomeço, Alice conta com a volta de Clair Redfield, interpretado por Ali Larter e com a (até que enfim) aparição seu irmão Chris Redfield (Wentworth Miller da série de TV Prison Breake) para o adorável trabalho de matar uns mortos-vivos em um mundo onde a raça predominante são os zumbis.

A HISTÓRIA
O vírus escapou e todo mundo morreu, o problema foi... que eles não permaneceram mortos, o T-Vírus, produzido pela Umbrella Corporation, a maior e mais poderosa entidade no mundo, reanimou seus corpos, sem inteligência, mas com o instinto mais básico, muito aguçado, a necessidade de se alimentar. Alice continua a sua busca por sobreviventes, para salvá-los. Sua batalha mortal com a Umbrella Corporation fica cada vez mais dura. Uma nova pista que promete um refúgio seguro para se proteger dos mortos-vivos as leva para Los Angeles, dentro de um presídio que na verdade serve de refúgio para eles dos milhares de zumbis que estão sentindo o cheiro de sangue fresco.

Semelhanças Filme - Jogo
Vários monstros e experimentos da Umbrella Corp. baseados nos jogos, principalmente o 5, estão contidos neste filme, principalmente os terríveis Manjinis, os zumbis com tentáculos na boca, o Executioner está lá com seu imenso machado, assim como os cães Cerberus em relação aos Adjules que também podem abrir suas cabeças em duas, tornando-os mais ferozes e mortais, além dos monstros e cobaias da Umbrella mantidas em cápsulas, ainda tem o escaravelho que controla a mente de Claire, podemos relembrar do dispositivo de P30 usado em Jill Valantine (no jogo, com surpresa no final do filme) controlado por Wesker, também tem o soro que Wesker injeta em Alice, para neutralizar o T-Vírus em seu corpo é semelhante ao PG67AW, que desequilibra os poderes de Wesker no jogo.

No filme, o que chama mais a atenção, são os efeitos visuais, extremamente planejados para que a plateia sinta uma quase, interação com o filme, na qual você sente até tontura, fica com medo da altura, desvia de balas, se protege dos machados, sente a vibração do pisar do Executioner correndo, vê as gotas de chuvas passando por você até chegar na personagem lá embaixo e outras várias sensações que somente um cinema IMAX com a tecnologia em 3D é capaz de proporcionar, se você ainda não conhece um IMAX, está na hora de você se atualizar, mas deixamos claro que após essa experiência, você não verá mais graça em assistir um filme em um cinema comum.

Assista a nossa vídeomatéria abaixo, caso você não tenha acesso ao YouTube, clique aqui para assitir no site Vimeo.

Prince of Persia: the Sands of Time

 

Do time que trouxe a trilogia “Piratas do Caribe” as telonas, Walt Disney Pictures e Jerry Bruckheimer Films apresentam PRÍNCEPE DA PERSIA: AS AREIAS DO TEMPO, um épico de ação e aventura gravado na terra mística de Pérsia. Um menino de rua (JAKE GYLLENHAAL) que vaga no império Pérsa do século VI e é adotado pelo rei após mostrar seu valor em uma batalha, relutantemente une forças com uma princesa misteriosa (GEMMA ARTERTON) e juntos, eles lutam contra forças obscuras para proteger uma adaga antiga capaz de liberar as Areias do Tempo um presente dos deuses que pode reverter o tempo e dar a seu possuídor poder que pode controlar o mundo.

 

O vilão é o nobre Nizam (BEN KINGSLEY) que está com a “Adaga do Tempo” que o permite fazer pequenas visitas ao passado e mudá-lo, a missão dos dois principes é de impedir que Nizam ocasione uma tempestade de areia, a qual poderia destruir o mundo.

 

O filme é baseado no já aclamado jogo para vídeo-games “Prince of Persia”, que em 2003 lançou o “Prince of Persia: The Sands of Time” e já em 2004 a produtora Jerry Bruckheimer Films adquiriu os direitos para realizar o filme baseado no jogo de 2003, que seria distribuído pela Walt Disney, somente em 2006 a Disney contratou um roteirista para o novo roteiro do filme, em junho de 2007 ela marcou uma data de lançamento para Jlho de 2009, mas foi terrivelmente afetado pela greve dos roteiristas que ocorreu entre 2007 a 2008.

 

Quando o filme começou a ser produzido teve sua data de lançamento adiada para 28 de maio de 2010 com direção de Mike Newell, que dirigiu também “Harry Potter e o Cálice de Fogo”. Uma outra boa rasão para adiar a data de lançamento foi a data de lançamento de “Transformers: A Vingança dos Derrotados” estar marcada para apenas uma semana depois de Principe da Pérsia.

 

O JOGO

 

O jogo tem foco na história do Prince da Pérsia que, enganado pelo Vizier, liberta as Areias do Tempo no palácio do sultão, um amigo de seu pai, o rei Shahraman. As Areias do Tempo transformam todos os habitantes do palácio em monstros de areia, colocando-os sob o controle do Vizier. Com a ajuda da princesa Farah, a filha do marajá da Índia, o jogador deve controlar o Princípe e usar as suas habilidades acrobáticas e a "Adaga do Tempo" para atravessar todas as áreas do palácio repletas de armadilhas e desfazer o seu erro.

 

The Sands of Time foi elogiado pelo seu design visual, por suas mecânicas de jogabilidade equilibradas e pelo seu enredo empolgante. Nos sites especializados que agregam notas a jogos Metacritic e Game Rankings, o jogo recebeu uma nota média de 91% ao mesmo tempo em que foi premiado por várias publicações de videogame. O sucesso do jogo resultou na produção e lançamento de duas sequências: Prince of Persia: Warrior Within e Prince of Persia: The Two Thrones, em 2004 e 2005, respectivamente.

 

 

Um dos filmes mais assustador que nós já vimos.O filme de terror começou a ser exibido em apenas algumas cidades dos Estados Unidos mas com um sucesso gigantesco de público e critica o filme teve que ser relançado e desta vez foi mundialmente.

O filme que a primeira vista parece ser uma edição de um video caseiro, mostra o cotidiano, quase sempre noturno do casal Katie e Micah que moram no suburbio de San Diego, California nos EUA, Katie alega ser perseguida desde criança por uma presença fantasmagórica e que essa presença está cada vez mais perto, perseguindo-a onde quer que ela vá, por isso seu namorado Micah começa a filmar as noites do casal, e o que eles veem são coisas das mais sobrenaturias possiveis.

O filme em momento algum mostra algum tipo de ser, a não ser vultuos e coisas se mechendo, porém o susto é ainda maior, atacando com terror psicológico, o filme amedronta até os mais corajosos, pelo filme não conter cenas de sexo, nem muitos palavrões, nem se quer violência ou sangue recebeu uma classificação de 16 anos aqui no Brasil, mas muitos marmanjos perderam o sono após assistir a um dos mais assustadores e aterrorizantes filmes da história do cinema.

No Twitter, site que ajudou muito na propagação e divulgação do filme, o assunto “Paranormal Activity” ficou no topo do Trending Topics por longos meses, fazendo com que a Paramount Pictures, produtora do filme, resolvesse assinar com o diretor e roteirista Oren Peli, para uma sequencia do filme.

“Desde o começo nós colocamos o filme nas mãos dos fãs e confiamos neles para nos dizer onde e quando deveria ser visto.” disse Rob Moore, vice-presidente da Paramount Pictures.

Atividade Paranormal teve um custo de apenas US$ 15 mil, e arrecadou mais de US$ 141 milhões somente nos cinemas. O que não esperavam os atores que usaram seus nomes reais para o papel e ganharam apenas 500 dólares para atuar.

Página 1 de 2