19
Qui, Out
1 Novas matérias

Principais artigos

Adrianópolis sobre as estrelas. Foto: Junior Krasota

História

"Esta é a pacata cidadezinha de Adrianópolis. Cidade tranquila do Interior... Porém aqui, a natureza nos premia com sua exuberante beleza natural, aqui se vive mais perto de Deus, pois pisamos nesse chão sem medo de ser feliz!"

 

“Andamos por este município e vemos sua evolução, seu progresso”.

 

 “É um lugar de paz e, aos 57 anos, já é uma cidade 'madura'”.

 

“Pedimos a Deus que, imbuídos deste espírito, as autoridades de Adrianópolis possam fazer esta cidade continuar crescendo. Adrianópolis é uma cidade, que conta com a sabedoria do povo e com a Mão de Deus para seguir trilhando o caminho do progresso e com esta celebração de aniversário, mais um passo será dado para o futuro”.

 

Vista aerea do Centro de Adrianópolis.
Vista aerea do Centro de Adrianópolis. Foto: Arquivo da Prefeitura Municipal de Adrianópolis.

A Administração Municipal busca o Crescimento Econômico Social combinado com a preservação da qualidade de vida do interior, o que é um privilégio para os seus moradores e um desafio constante para o Prefeito Municipal Alcides Rodrigues Bassete e sua equipe de trabalho.

No entanto, desafios não são problemas para um município que tem História de gente hospitaleira, amiga, habituada ao trabalho duro no Campo e na Zona Urbana. Quem visita Adrianópolis, sai daqui com vontade de retornar. Muitos voltam e fixam moradas e se tornam mais um de nós.

 

Data de Emancipação Político Administrativo:

25 de Julho de 1960.

Centro da Cidade de Adrianópolis/PR- Foto Lúcia Santos.

Acompanhe abaixo a parte Histórica deste Município que completa 57 anos de “Emancipação Político Administrativa no dia 25 de Julho de 2017”

O Município 

O Município possui área total de 1.349 km², está a uma altitude de

154m em relação ao nível do mar e distam 134,90 km da capital do estado. Está localizado na área Metropolitana de Curitiba.

Adrianópolis tem como municípios paranaenses vizinhos: a leste, Cerro Azul; a Sul, Tunas do Paraná e Bocaiúva do Sul. No Estado de São Paulo, os municípios de Ribeira, Itaoca e Iporanga constituem fronteira ao Norte, e Barra do Turvo constitui fronteira a Leste do município.                 

Vista aerea de Adrianópolis. Foto: Arquivo da Prefeitura Municipal de Adrianópolis.

Atividades produtivas:

 

Agricultura (subsistência) Milho, tubérculos, verduras, feijão, banana, mel.
Pecuária: Bovinos, Suínos.
Serviços Artesanais em palha e fibras e industrializados tais como: Rapadura, taiada, doce de laranja, doce de abóbora, farinha de mandioca, apressado, pamonha de milho verde, paçoca de amendoim, paçoca de carnes de Porco socadas no pilão e de frango caipira. Artesanato em palha, em madeira, em cipó, Taboa, bambu, mel e outros.
Extrativismo: Madeira em tora para papel e celulose (Pinus).
Comércio: Lojas, Mercados, Feiras de produtores, padarias e bares.

Leite - COPLAR.

FABRICA DE CIMENTO.

 

Indústria dominante:

 

Produtos minerais não - metálicos.

Produtos alimentares.

Indústria de mineração. Industria Cimenteira

 

População atual Urbana e Rural;

 

Total de Habitantes:

População 2010 

6.376 habitantes.

IBGE-2010

  • POPULAÇÃO URBANA: 2060 HABITANTES.
  • POPULAÇÃO RURAL: 4.316 HABITANTES.

 

IDH(M):

Seu Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH) é de 0,683 o que lhe atribui a 374º colocação entre as 399 cidades paranaenses. 

 

Formação Administrativa

São encontradas diversas versões sobre o histórico do atual Município de Adrianópolis, sendo que a região é localizada num ponto de passagem, na divisa entre o Estado do Paraná e de São Paulo. Assim, a história de Adrianópolis aqui apresentada utiliza como base a observação de construções históricas e do histórico de ocupação da região como um todo.

Em 1624, foram abertas as primeiras estradas de Bocaiúva do Sul até

Ribeira, passando pela localidade de Epitácio Pessoa, o que deu início à ocupação local. Antes de 1920 estas terras pertenciam ao Estado de São Paulo, após a abertura das estradas as terras se tornaram um distrito de Bocaiúva do Sul.

Epitácio era uma vila composta por casas comerciais, igreja, residências, cartório e delegacia próprios.

Durante a Revolução Paulista de 1924, as tropas abriram uma nova estrada que também passava pelo Distrito de Epitácio Pessoa para o transporte de mercadorias. Esta estrada cruzava as terras pertencentes a Alcides Batista Dias, a fazenda Paranaí. Com a Revolução Getulista, em 1930, a região foi palco de lutas armadas e até hoje é possível encontrar sinais destas lutas ao encontrar fuzis usados na batalha revolucionária.

Foi também na época da Revolução de 1930 que o Distrito teve seu nome modificado, de Epitácio Pessoa, para Paranaí, por motivos políticos. 

Em 1932, utilizou-se a estrada que tinha sido utilizada como rede de ligação para tropas para construir a BR-476, que atualmente liga Adrianópolis a Curitiba.

Pouco tempo depois da construção da estrada, em 1937, uma mina local foi adquirida pelo pioneiro Dr. Adriano SEABRA da Fonseca, a primeira pessoa a instalar uma indústria de mineração no município. Nasceu, então, a Empresa Plumbum S.A, empresa de capital estrangeiro- (Grupo Francês) com uma filial no país. Em 1954, a Plumbum tornou-se uma fonte motora na indústria regional, sendo responsável por maior parte dos empregos registrados na região.

O Distrito de Paranaí foi desmembrado de Bocaiúva do Sul no dia 25 de julho de 1960, pela Lei Estadual n° 4245/60, tornando-se o Município de Adrianópolis, em homenagem ao fundador da Plumbum S.A. Sua instalação ocorreu em 15 de novembro de 1961, quando o primeiro prefeito, Eros Ruppel Abdalla, tomou posse.

Adrianópolis foi incluída na Região Metropolitana de Curitiba em 1995, pela Lei Estadual n° 11.096/95. No mesmo ano, a Plumbum encerrou suas atividades, com o fim do minério, o que causou uma crise econômica no município. Os empregados foram demitidos e muitos abandonaram a cidade em busca de melhores condições de vida. A Vila dos Operários é, até hoje, uma cidade fantasma. Comparando o recenseamento de 1991, antes do fechamento da empresa, e o de 1997, após o fechamento, pode-se notar uma taxa de crescimento de -1,15%.

Porém a expectativa é de que num futuro não muito distante o crescimento demográfico volte a crescer, pois temos expectativas de desenvolvimento sócio  - econômico para o município que deverá ofertar oportunidades de emprego e renda e com isso, muita gente deverá instalar-se  novamente em Adrianópolis.

Sob um enfoque não passadista, mas de valorização do elemento humano, da tradição e da estreita relação de Adrianópolis como tempo presente, a evocação do passado tem aqui o papel de condução explicativa e de reflexão sobre desafios futuros, a fim de prospectar dias melhores para os administradores, profissionais, funcionários e para todo o povo, razão de ser desta cidade nos seus 57 Anos de serviços prestados à sociedade.

 

Adrianópolis nos seus 57 Anos

A IMPORTANCIA DE SE FAZER  um “Resgate Histórico” dos diversos fatos que marcaram essa trajetória desde o início até os dias atuais tem uma razão simples: “História se Registra”. 

Ela nos importa hoje, mas muito mais á futura geração, amanhã.

Sejamos um pouco altruístas e realistas: O que seria da História sem registro? Imaginemos dois extremos: Se nunca tivessem registrado a evolução humana, conquista do espaço pelo homem ao pisar na lua pela primeira vez, a arquitetura o urbanismo, a geologia, a geografia, a agronomia e tantos outros fatos decisivos que ocorreram na História, certamente hoje não teríamos parâmetros, nem história, nem identidade. Que mundo seria o nosso?

É por isso que Adrianópolis precisa ter o seu registro. Por razões simples e ao mesmo tempo complexas. 

Somos nós, Pessoas, sociedade e comunidades, as peças fundamentais neste processo de organizar a construção dessa História no dia - dia. Não há História se estas não forem registradas.

 

Tempos Modernos: Adrianópolis procura demonstrar sua história de forma fiel, um registro honesto e importante do que fomos, do que somos e do que queremos ser, em todos os níveis de cidadania. 

Nas dezenas de páginas desta publicação você vai encontrar registros através de imagens que mostram como o município de Adrianópolis evoluiu em vários sentidos, desde o desenvolvimento social até temas mais específicos, como a acessibilidade

 

Acreditar que nós podemos muito. Nós podemos transformar.  

O Município de Adrianópolis ano a ano, busca caminhos e propostas para que sejamos destaque local, por um Estado e um País melhores. Mas se pensarmos globalmente, por um “Mundo Melhor, mais justo e mais igualitário.”

 

Adrianópolis - Uma Cidade que deu certo!

Adrianópolis é uma Cidade que tem por Unidade Mantenedora o Governo local através da Prefeitura Municipal - atual Prefeito SR: Alcides Rodrigues Bassete "Cid do banco" e vice-prefeito Sr. Vandir veterinário, sendo vinculado ao Governo do Estado do Paraná, e faz parte da Região Metropolitana de Curitiba. O Paraná conta com 399 municípios e todos têm uma história que evidenciam seu valor, porém para nós Adrianopolitenses, Adrianópolis é inigualável! Ninguém em nossa concepção supera a admiração o amor e o respeito que temos por nossa Cidade.

Podemos afirmar que Adrianópolis hoje, é um gigante que oferece grandes possibilidades de desenvolvimento sócio-econômico e por sua vontade de crescer ainda mais! 

Foram mais de cinco décadas de trabalho intenso, para se chegar ao que somos hoje. E estamos dispostos a continuar trabalhando intensamente para alcançarmos os objetivos propostos de forma a concretizá-los para o bem comum da atual e das futuras gerações.

Trabalhos importantes já foram realizados para definir a cara de nossa sociedade e de planejamento integrado para um desenvolvimento mais equilibrado e fundamental para o avanço econômico e social de Adrianópolis. Obras que se diga novamente tiveram a contribuição de profissionais competentes e todos foram essenciais para que isto se concretizasse, porém, nota-se que nos dias atuais, esse desenvolvimento abrangente a atual situação do município, conta com grandes expectativas de um futuro promissor, de desenvolvimento, de comprometimento das autoridades locais e de participação popular, nota-se que o povo, tem acompanhado diretamente esse desenvolvimento tão sonhado. É dessa importância e desse avanço popular que temos orgulho em citar, pois essa é a intenção da Gestão Atual: Trazer para as decisões a participação de todos os seguimentos da sociedade. Entendemos que ninguém caminha ou cresce sozinho. Queremos crescer juntos, conquistar juntos, comemorar juntos todas as benfeitorias.

Sabe-se que com o Fechamento da Empresa de Mineração PLUMBUM S/A no ano de 1995, o Município de Adrianópolis enfrentou uma das piores crises econômicas da época, muitos desafios, pois acabava com o fechamento da empresa que era a maior força econômica do município, famílias inteiras que tinham seu sustento aqui foram  pra outras localidades em busca de trabalho e de sobrevivência, á cada semana saia uma mudança da Vila Operária, “Panelas de Brejaúvas”. A convivência diária com a comunidade que era constante, tudo acabou. Mas o Município continuou sua trajetória com a população que aqui se manteve... (Verdadeiros guerreiros que seguraram com muita garra a desestabilidade econômica da época).

Mineradora Plumbum.
Mineradora Plumbum. Foto: Arquivo Publico Municipal

Hoje, superados esses desafios com muito trabalho, muita vontade de vencer... Temos caminhado bastante, mas os desafios ainda existem! Porém, temos uma característica muito especial que só os que acreditam possuem: - A esperança, a fé e a certeza de que no amanhã haveremos de superar as expectativas, pois é para essa possibilidade que estamos voltados!

Para um futuro promissor, na certeza do pleno desenvolvimento social e humano.

Sabemos que Adrianópolis tem novos caminhos a vencer, mas, apesar das intempéries vividas, conclui-se que essa evolução já é impressionante. Completar 57 anos já é por si só, uma data emblemática, pois representa um marco para nossa História.  Para Adrianópolis, essa idade representa um conjunto de conquistas. 

Pretendemos que Adrianópolis alcance sua total plenitude no cumprimento de sua missão e trabalhamos para que isso aconteça. Assim, sem sombra de dúvidas, somos uma referência para os profissionais e a sociedade que construíram e continuam construindo a Adrianópolis de amanhã.

Esperamos de forma positiva o progresso para toda a nossa população, é pra isso que estamos trabalhando incansavelmente. O objetivo é AVANÇAR sempre e a Meta é VENCER!  Temos propostas para a instalação de Várias Fábricas de cimento no município, dentre elas: Supremo, Votorantim, Plumbum, dentre outras, e com esses empreendimentos concretizados, significa que teremos estabilidade econômica e garantia de qualidade de vida com dignidade, isto é, geração de emprego e renda para toda a população do município e região, fortalecendo o desenvolvimento e o progresso sustentável em Adrianópolis e no Vale do Ribeira. A perspectiva de que teremos um futuro promissor já é realidade e de que seremos a “Capital do Cimento”, é uma certeza!

 

Inovações tecnológicas viram salto em 57 anos de Adrianópolis:

 

Imagine a vida sem internet. As notícias demorariam intermináveis horas para chegar ao seu conhecimento. Ter notícias de um parente ou amigo distante dependeria de uma boa letra sobre o papel da carta que levaria dias para ser entregue ao destinatário, mesmo com toda a eficiência dos correios.

E se também os telefones não existissem com uma conexão instantânea ou a praticidade de levá-los no bolso? E se não houvesse energia elétrica, esgoto, água encanada, estradas pavimentadas ligando todos os bairros á sede ou nossa cidade com a BR476 asfaltada com acesso á Capital e á outras cidades? A gente nem se dá conta, mas não faz tanto tempo assim que nossa vida ficou muito mais fácil...

Voltemos o relógio da História para meados da década de 30. Em Paranaí as inovações tecnológicas chegavam a conta-gotas. Muitas coisas desta natureza talvez tenham sido trazidas na época da Revolução pelo exército em 1930/1932. 

Tecnologia pra muitos que viveram nesse tempo, nesta região, não existia. 

A produção local de modernos e revolucionários aparatos sequer era imaginada. O Estado, espremido entre duas potências políticas, São Paulo e Rio Grande do Sul, se mantinha na pacata e inofensiva cordialidade de ser uma espécie de quintal do vizinho do Norte. As novidades técnicas serviam basicamente para melhorar o desempenho do estado agrícola que ainda não tinha aprendido a andar sozinho.

O que, então, separa aquele “Paranaí Rural” de mais de 57 anos atrás dos dias atuais é impressionante! 

Houve ainda nos últimos anos e ainda há ofertas de cursos de Educação á Distância com Pólo em Adrianópolis através do ITDE, implantação de Tele Centros na sede e em vários bairros inclusive possibilitados na Gestão Atual, que fez inaugurações de vários tele centros em bairros que jamais poderíamos imaginar. 

Hoje em Adrianópolis, sede e bairros, as escolas estaduais, contam com laboratórios de informática. Ficamos felizes com o grande passo que tivemos e com a acessibilidade á maioria das camadas sociais, proporcionando uma infraestrutura física que melhora a qualidade de vida da população e dos estudantes. Até porque, vimos evolução em lugares onde não se podia imaginar que isso seria possível e foi! Sabemos que temos muito ainda o que avançar e vamos avançar! Porque Adrianópolis trilha um caminho planejado e sabe para onde vai e aonde quer chegar!

Sem deixar de falar de uma das maiores obras já realizada nesses 57 anos de história, que foi a pavimentação asfáltica da BR-476 que antes era um caos e hoje incomparável!

 

Vejamos nas imagens abaixo, por exemplo, o antes e o depois da BR-476 que liga Adrianópolis á Curitiba:

BR 476 - Há tempos atrás. Foto: Arquivo.
BR 476 - Há tempos atrás. Foto: Arquivo publico.

 

Situação da BR 476 em tempos de chuva:

Se a situação era assim, nessa época em que as pessoas já tinham carro, e também já podíamos contar com a linha de ônibus da Empresa Cerro Azul que ainda permanece aqui na linha Adrianópolis á Curitiba, imaginem em tempos anteriores a este! Muita gente que necessitou ser hospitalizada por motivo de doenças ou parto perderam  a vida nesta dificuldade toda  e houve até quem nasceu na estrada! Tempos difíceis! Muita gente nossa morreu acreditando e sonhando que um dia essa situação mudaria! E realmente Mudou! Pena que muitos não ficaram pra ver!

Veja abaixo a realidade atual. Depois de muita luta, enfim o asfalto chegou para facilitar a vida de todos!

Mais uma conquista de nossa gente!

Mais um marco importante na história de nossa terra!

BR-476 Asfalto nos dias atuais. Foto: Lúcia Santos.
BR-476 Asfalto nos dias atuais. Foto: Lúcia Santos.

 

SUPREMO SECIL CIMENTO 

Produz Cimento Portland ensacado e a granel e atende toda a região Sul do Brasil, além do estado de São Paulo.

Conta com um rigoroso controle de qualidade e realiza ensaio diariamente em seus produtos, tudo para garantir um cimento de excelente qualidade e rendimento.

A Supremo também se destaca pelo nível de excelência no atendimento, buscando relações mais próximas e duradouras com os parceiros comerciais.

È por essas e outras conquistas que com certeza ainda virão, que Comemoramos com alegria esses 57 Anos de Emancipação Político Administrativo e convidamos  o Povo de Adrianópolis e todos os amigos que como nós aprenderam a amar e respeitar esse lugarzinho tão especial que cativa a todos com suas exuberantes belezas Naturais , com suas características  inigualáveis e inconfundíveis e que nos faz perceber que vivemos no melhor lugar do mundo e que viver aqui não tem preço!

Foto: Reprodução - Supremo Secil Cimentos
Foto: Reprodução - Supremo Secil Cimentos

PARABÉNS ADRIANÓPOLIS!

Parabéns ao nosso povo merecidamente que aqui se instalaram ajudando a construir nossa História!

Parabéns á todas as Autoridades que já lutaram e aqueles que continuam lutando por uma cidade ainda mais fortalecida, sustentável e de sucesso! De forma muito especial, aos seus administradores: 

Sr. Eros Ruppel Abdala - 1° Legislatura;

Sr. Alcy Mello 2° e 4° Legislatura;

Sr. Loiziel Ruppel Bittencourt popular Zuza  - 3° Legislatura;

Sr. Osmar Maia - 5°, 7° e 11° Legislaturas;

Sr. Agertino Milani - 6° Legislatura;

Sr. Teodoro Marques de Oliveira – 8° e 10° Legislaturas;

Sr. José Carlos dos Santos (SUKITA) - 9° Legislatura;

Sr. João Manoel Pampanini - 12° e 13° Legislaturas;

Sr. Alcides Rodrigues Bassete 14° Legislatura.

Totalizando  9 administradores  que com fé e confiança desempenharam um trabalho  em prol do desenvolvimento sócio econômico, acreditando em dias melhores e nas conquistas tão sonhadas por nossa gente!

 

Ribeira, São Paulo - A Capital da Amizade começa suas comemorações aos seus 106 anos de municipalidade com duas incríveis apresentações de tirar o fôlego.

Primeiro um musical trazendo as mais belas e encantadoras magias do mundo circense, O Circo trouxe tudo o que um circo tem direito, o projeto reuniu crianças de escolas municipais de Ribeira e apresentou no dia 12 de Outubro, Dia das Crianças, essa grande sessão aos cidadãos que se encantaram com os números musicais.


Foto: José Armando Moreira, cedida gentilmente para o A50/A Folha.

No dia 15 foi fez do musical Castelo Rá-Tim-Bum, realizado pelo PAC - Projeto Amigos da Cidade com as Escolas de Ribeira em parceria com a Prefeitura Municipal da cidade, trouxeram um clima de alegria e nostalgia aos espectadores. 

Com pouco mais de uma hora e meia de duração, crianças e adultos foram transportados ao mágico Castelo Rá-Tim-Bum, antigo programa da TV Cultura que embalou infâncias de várias gerações brasileiras.

A incrível capacidade dos talentosos artistas, tanto dos monitores do PAC quanto das crianças e adolescentes que com uma incrível capacidade e talento além do normal fizeram esse clássico se eternizar mais uma vez nos palcos do teatro e de uma forma muito especial.

A Folha e o A50 parabenizam todos os coordenadores, organizadores, monitores, idealizadores, atores, parceiros e colaboradores, além dos pais que juntos conseguiram fazer desse musical um musical 5 estrelas.

Confira os melhores momentos do Teatro Musical:

Musical Castelo Rá-Tim-Bum

Ribeira inicia as comemorações de seus 106. Musical Castelo Rá-Tim-Bum, realizado pelo PAC - Projeto Amigos da Cidade com as Escolas de Ribeira em parceria com a Prefeitura Municipal trouxeram um clima de alegria e nostalgia aos espectadores. Com pouco mais de uma hora e meia de duração, crianças e adultos foram transportados ao mágico Castelo Rá-Tim-Bum, antigo programa da TV Cultura que embalou infâncias de várias gerações brasileiras. O início das comemorações foi no dia 12 com o musical "O Circo". Ainda terá um jogo de futebol com vários craques do futebol, shows e eventos. Fiquem ligados para conferir as atrações. Confira os melhores momentos desse clássico.

Publicado por A Folha de Adrianópolis em Domingo, 16 de outubro de 2016

 

 

Programação 

As festividades estão só começando,

Dia 16/10 - Domingo

À partir das 10h00:

Corrida Ecológica (15 KM)

Caminhada Ecológica (8 KM);

Dia 20/10 - Quinta, data oficial do Aniversário de Ribeira

19h00 - Missa em Ação de Graças - Paróquia da Matriz

20h00 - Sessão Solene

Dia 22/10 - Sábado

14h00 - Futebol Feminino

16h00 - Futebol Masculino

Seleção Paulista de Master

[Gilmar, Polozi, Pires, Amaral e Ademir da Guia (Palmeiras),
 Silas, Miller, Pavão, Vitor e Alexandre (São Paulo),
 João Paulo, Zenon e Ezequiel (Corinthians),
 Gaspar (Santos), Valdeir (Flamengo), Pereira (Guarani)

Seleção de Amigos do Adilson

Ademir Alcântara (Inter/Benfica), Aladim, Dida (Coritiba), 
Gralax (Corinthians), Perdigão, Gabiru (Inter), Castor (Ponte)
Beto (Paraná Clube) e Adilson Batista, claro.

Dia 23/10 - Domingo

13h30 - Futebol Amistoso - Ribeira Junior x E.C. São Bento

16h00 - Ribeira x E.C. São Bento

Dia 28/10 - Sexta

23h30 - Baile de Gala - New York Banda Show

Dia 29/10 - Sábado

23h30 - Baile da Amizade - New York Banda Show

Dia 30/10 - Domingo

13h00 - Taça Ribeir de Mountain Bike

20h00 - Shows:

  • Dani & Danilo
  • Sandra de Sá

  • Almir Sater

 

Fiquem ligados para conferir as atrações.

 

Assembleia aprova greve geral a partir do dia 23 de abril  de  2014.
Decisão histórica foi tomada neste sábado (29). Educadores(as) cobram cumprimento de leis e melhores condições de trabalho

Mais de mil educadores e um consenso: a categoria está decepcionada com o descaso e com a lentidão nas negociações com o governo do Estado. Trabalhadores e trabalhadoras da Educação representando todos os 29 Núcleos Regionais da APP-Sindicato no Paraná, estiveram presentes na assembleia que decidiu pela deflagração da greve geral da categoria.

Após uma manhã de intensos debates sobre a conjuntura política, estrutural e econômica do Paraná e a da análise histórica e minuciosa do trabalho da APP na defesa dos direitos da categoria, a quase totalidade dos educadores e educadoras decidiu, em votação democrática, pela intensificação do calendário de mobilizações para os meses de abril e maio. Haverá greve geral nas escolas públicas e estaduais a partir do dia 23 de abril.


foto de APP-Sindicato


A Assembleia também aprovou a realização de um acampamento em frente ao Palácio Iguaçu nos dias 23,24 e 15 de abril, e a continuidade da campanha “Hora-atividade pra Valer”.

Os(as) educadores cobram, entre outros, os 33% de hora-atividade; a implantação do Piso Nacional para o professor (mínimo de 8,32%); o reajuste no mesmo índice do Piso Regional (7,34%) para os funcionários(as) de escolas; o pagamento das promoções e progressões em atraso; o fim do corte do auxílio transporte para os(as) afastados por licença médica; melhoria do contrato PSS, e a implantação de um novo modelo de atendimento à saúde do funcionalismo público.

A votação expressa a atuação do Sindicato diante das insistentes negativas do governo. Para a presidenta da APP, professora Marlei Fernandes de Carvalho, esta assembleia foi positiva. "Todos nós estávamos favoráveis à greve. Agora a categoria precisa se organizar para construir o movimento para fazer com que o governo atenda as nossas propostas". O secretário de Imprensa da APP, professor Luiz Carlos Paixão reforça que a greve é uma das formas de pressionar o governo do Estado. "Mais uma vez a categoria mostrou sua força e unidade. Agora todos nós temos o desafio e a tarefa de construir a partir do seu local de trabalho uma greve histórica para a educação do Paraná. Caso o governo não queira a greve, que apresente uma proposta concreta para o atendimento dos principais reivindicações da categoria”, salienta o professor Paixão.

Confira o calendário de mobilização aprovado pela assembleia:

(Conjunto de atividades começando no dia 30 de março)


30 de março até 30 de abril – realização de assembleias regionais em todos os núcleos sindicais da  APP-Sindicato Sindicais da APP.
Dia 8 de abril – Encontro Estadual de diretores e diretoras da escolas sobre o porte de escola.
Dia 9 de abril – Marcha da classe trabalhadora, em São Paulo, na Pça da Sé às 9h. Envio de caravana do Paraná.
Dia 14 de abril – Mobilização com vigília dos aposentados e aposentadas pela implantação do nível II na tabela. (10 horas reunião na APP, 14 horas mobilização na Alep e 17h até 00h vigília no Palácio Iguaçu).
Dia 23 de abril – início da greve dos(as) educadores(as) paranaenses.
Do dia 23 até 25 – Acampamento em frente ao Palácio Iguaçu em Curitiba. Durante o acampamento será realizada  devolução simbólica do Cartão Saúde do Governo.
Do dia 24 até 30 de abril – 15ª Semana Nacional em Defesa da Educação Pública, organizada pela CNTE.
29 de abril -  Ato Público em Curitiba.

Ações que antecedem à greve – Outra decisão da assembleia, foi a realização de recepções ao governador em suas atividades nos municípios do Paraná. A campanha Hora-atividade pra Valer continua. Os(as) presentes aprovaram por unanimidade a continuação da campanha nas seguintes datas: 4, 10, 16 e 22 de abril.


A Assembleia Estadual deste dia 29 não foi encerrada. A categoria continua em assembleia  permanente. O que significa, que a qualquer momento a direção do sindicato poderá reinstalá-la.  

Prestação de contas – Antes da realização da assembleia extraordinária que deliberou pelo início da greve, houve uma assembleia geral ordinária com a prestação de contas da entidade referente ao ano de 2013 e a apresentação do Plano Anual de Aplicação Orçamentária para 2014. Após a leitura detalhada dos documentos e da exposição dos pareceres favoráveis do Conselho Fiscal da APP, tanto o balanço financeiro e patrimonial gerado no ano passado, como a previsão de investimentos para este ano, foram aprovados por unanimidade dos participantes.

O secretário de Finanças da APP-Sindicato, professor Miguel Baez, explica que a entidade aprimora ano após ano sua gestão financeira e administrativa e considerou sobre o crescimento do Sindicato. ‘Com o atual ritmo de crescimento da APP, tanto em estrutura física, quanto em número de sindicalizados, temos a certeza que em 2014 teremos números ainda mais otimistas’, avaliou o secretário.


FONTE : APP SINDICATO PR.

Aprenda a fazer um prato rápido, prático e muitoooooo gostoso, Nacho é um prato tipico mexicano, sim, vai pimenta, mas você pode maneirar, porém sugerimos seguir a receita, pois fica muito bom!

Ingredientes

  • 1 kg de carne moída
  • 500 g de feijão
  • 5 colheres de sopa de óleo
  • 1 cebola grande ralada
  • 5 dentes de alho amassados
  • 2 pacotes de Doritos (grande)
  • 200 g de queijo cheddar (caso não tenha você pode substituir por queijo prato)
  • 200 g de queijo mussarella
  • 100 queijo parmesão
  • 200 g de queijo prato (caso tenha usado queijo prato para substituir o cheddar, você precisará de 400 g)
  • 1 colher e 1/2 de sopa bem cheias de pimenta chilli
  • 3 colheres de sopa de molho inglês
  • Sal e temperos como ervas finas, manjerona e outros, a gosto 

Modo de preparo

  1. Cozinhe o feijão
  2. Aqueça o azeite em uma panela e frite a cebola e o alho até dourar
  3. Junte a carne moída, pimenta e caldo de carne e refogue bem
  4. Confira o tempero a seu gosto, o sal, o molho inglês e a pimenta chilli devem ser adicionados
  5. Adicione o 1/4 do feijão cozido e amassado sem tempero e mexa
  6. Coloque o resto do feijão, dessa vez sem amassá-lo
  7. Adicione pedaços do queijo prato cortados em cubinhos e espalhados uniformemente e mexa até derreter
  8. Depois, forre uma travessa com o Doritos, coloque a carne com feijão por cima
  9. Enfeite com o sour cream e por último os outros queijos e mais Doritos para enfeitar e deixar crocante
  10. Coloque no forno por cerca de 15 minutos numa temperatura de 180º graus apenas para derreter os queijos

Você pode usar esses molhos para dar aquele clima de México, são acompanhantes perfeito que dispensam os populares catchup e mostarda.

Sour cream

  • 1 caixinha de creme de leite
  • 1 pote de cream cheese
  • 2 colheres de sopa de vinagre branco
  • Suco de 1/2 limão

Guacamole

  • 2 Abacates maduros
  • 2 tomates sem pele e sem semente (opcional)
  • 1 dente de alho
  • 1 cebola média
  • pimenta sem semente (ou molho de pimenta para os que não querem nada muito apimentado)
  • Suco de 1 ou 2 limões
  • 1 colher de sopa de coentro (opcional)
  • Sal, a gosto.

Modo de preparo

  • Para o preparo dos dois molhos é muito simples
    bata no liquidificar todos os ingredientes do Sour Cream, separe.
    bata no liquidificador todos os ingredientes do Guacamole e também separe.
  • Você comerá eles como um adicional ao prato, como se fosse um catchup ou uma mostarda.

O rendimento deste prato é incrivel, ele rende até 12 porções, sugerimos uma panela grande e funda, de preferencia frigideira, e um refratório também grande.

Semana Santa - Páscoa 2014

A Semana Santa 2014 será comemorada na semana de 12 a 20 de abril. A Sexta-Feira da Paixão (18 de abril de 2014), faz a alegria dos viajantes que tem um feriado de 3 dias para alugar uma casa, viajar e descansar em abril. Sem esquecer que teremos feriado Nacional  de  Tiradentes em 21 de Abril.

Destinos religiosos para a Semana Santa

Um dos mais tradicionais feriados religiosos do país, a Semana Santa movimenta o turismo em várias regiões. A comemoração católica pode ser oportunidade para conhecer cidades históricas.

Vejamos o calendário do Mês:

Abril
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30       

Você sabe o significado desse feriado?

A Semana Santa é uma tradição religiosa do Cristianismo que celebra a Paixão, a Morte e a Ressurreição de Jesus Cristo, tendo início no Domingo de Ramos (dia 13 de abril de 2014), e terminando no Domingo de Páscoa (dia 20 de abril de 2014).

Páscoa é tempo de Amor, de Família e de Paz... É tempo de agradecermos discretamente por tudo o que temos e por tudo o que teremos. Páscoa é um sentimento em nossos corações de esperança e fé.

Desejamos a todos  uma feliz Páscoa e dedicamos esta linda Oração  que segue a todos os seres humanos do Planeta Terra , independente da idade, língua, cor ou credo religioso!

Mensagem Oração de Páscoa

Páscoa significa renascimento, renascer.

Desejo que neste dia, em que nós cristãos,

comemoramos o seu renascimento para a vida eterna,

possamos renascer também em nossos corações.

Que neste momento tão especial de reflexão

possamos lembrar daqueles que estão aflitos e sem esperanças.

Possamos fazer uma prece por aqueles que já não o fazem mais,

porque perderam a fé em um novo recomeçar,
pois esqueceram que a vida é um eterno ressurgir.
Não nos deixe esquecer 
que mesmo nos momentos mais difíceis do nosso caminho, 
tú estás conosco em nossos corações,
porque mesmo que já tenhamos esquecido de ti, 
você jamais o faz.
Pois, padeceste o martírio da cruz em nome do Pai
e pela humanidade, 
que muitas e muitas vezes esquece disso.
Esquecem de ti e do teu sacrifício
Quando agridem seu irmão,
Quando ignoram aqueles que passam fome,
Quando ignoram os que sofrem a dor da perda e da separação,
Quando usam a força do poder para dominar e maltratar o próximo,
Quando não lembram que uma palavra de carinho, um sorriso,
um afago, um gesto podem fazer o mundo melhor.
Jesus...
Conceda-me a graça de ser menos egoísta,
e mais solidário para com aqueles que precisam.
Que jamais esqueça  de ti e de que sempre estarás comigo
não importa quão difícil seja meu caminhar.
Obrigado Senhor,
Pelo muito que tenho e pelo pouco que possa vir a ter.
Por minha vida e por minha alma imortal.
Obrigado Senhor! Amém. 
 
( Por Lúcia Santos).
 
A Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Adrianópolis  - junto aos jovens católicos, convida a todos para assistir as encenações da Paixão de Cristo. Veja convite em anexo:
 
 

A FESTA DE SANTA BÀRBARA na Plumbum , é um evento religioso que é tradicional no Município de Adrianópolis e data de longos anos, desde a época em que a Mineradora Plumbum ainda estava em atividade neste município.Mesmo com o fechamento da Empresa, os devotos da Padroeira dos mineiros não deixam de aproveitar para retornar ao lugar onde muitos fizeram a história de sua vida familiar e profissional.Há o reencontro dos amigos da Plumbum, todos agradecem e participam da Missa e também da Procissão.Um evento que emociona a todos os presentes.Um dia de reencontros e lembranças.A comissão organizadora local convida a todos para participarem neste 04 de Dezembro deste grande momento.A organização e programação está de tirar o chapéu, tudo feito com muito carinho pra não faltar nada para a recepção dos participantes.O dia será de muita descontração, além da parte religiosa teremos outras atividades como a homenagem aos amigos da Plumbum que será apresentada no telão, bingo, futebol, churrasco e outros comes e bebes e a oportunidade de rever os amigos.

Na verdade em 12 de outubro comemoramos três datas importantes:

Foi de autoria do deputado federal Galdino do Valle Filho na década de 1920, a idéia de instituir  a data do dia 12 de outubro em homenagem ao dia das crianças no Brasil. Arthur Bernardes, então presidente do Brasil, aprovou por meio do decreto de nº 4867, no dia 5 de novembro de 1924, a data de 12 de outubro como o dia dos pequenos,mas esse dia só passou a ser comemorado em 1960, quando a frica de brinquedos ESTRELA, fez uma campanha com a empresa Johnson & Johnson para lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas. E a idéia deu tão certo que todas as empresas resolveram adotar a mesma estratégia. Assim, 12 de outubro ficou sendo o dia das crianças ganharem  presentes. Porém, nessa data,  também se comemora o dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira oficial do Brasil e o Descobrimento da América. Nosso feriado nacional, no entanto, deve-se somente à primeira data, e, embora a devoção à santa remonte aos idos do século XVIII, só foi decretado em 1980.
A Folha de Adrianópolis, parabeniza a todas as crianças de Adrianópolis, do Brasil e do mundo pelo seu dia tão especial...

Que Deus as abençõe e guarde na palma da sua mão e que o anjo da guarda de cada um, proteja-as hoje e sempre!

 

Oração da Criança

Amigo:

Ajuda-me agora, para que eu te auxilie depois,
não me relegues ao esquecimento, nem me condenes à crueldade.
Venho ao encontro de tua aspiração, do convívio de tua obra...
Em tua companhia estou na condição da argila nas mãos do oleiro.
Hoje, sou sementeira, fraguilidade, promessa...
Amanhã, porém, serei tua própria realização.
Corrige-me, com amor, quando a sombra do erro
envolve-me o caminhopara que a confiança não me abandone.
Proteje-me comtra o mal, ensina-me a descobrir o bem, onde estiver.
Não me afastes de Deus e ajuda-me a conservar o amor
e o respeito que devo às pessoas, aos animais e às coisas que me cercam.
Não me negues tua vontade, teu carinho e tua paciência.

Tenho tanta necessidade do teu coração,
quando a plantinha tenra precisa de água para prosperar e viver.
Dá-me tua bondade e dar-te-ei cooperação.
De ti depende que eu seja pior ou melhor amanhã

Autoria de Autor Desconhecido
Mensagens de Oração

Adrianópolis sobre as estrelas. Foto: Junior Krasota

História

"Esta é a pacata cidadezinha de Adrianópolis. Cidade tranquila do Interior... Porém aqui, a natureza nos premia com sua exuberante beleza natural, aqui se vive mais perto de Deus, pois pisamos nesse chão sem medo de ser feliz!"

 

“Andamos por este município e vemos sua evolução, seu progresso”.

 

 “É um lugar de paz e, aos 57 anos, já é uma cidade 'madura'”.

 

“Pedimos a Deus que, imbuídos deste espírito, as autoridades de Adrianópolis possam fazer esta cidade continuar crescendo. Adrianópolis é uma cidade, que conta com a sabedoria do povo e com a Mão de Deus para seguir trilhando o caminho do progresso e com esta celebração de aniversário, mais um passo será dado para o futuro”.

 

Vista aerea do Centro de Adrianópolis.
Vista aerea do Centro de Adrianópolis. Foto: Arquivo da Prefeitura Municipal de Adrianópolis.

A Administração Municipal busca o Crescimento Econômico Social combinado com a preservação da qualidade de vida do interior, o que é um privilégio para os seus moradores e um desafio constante para o Prefeito Municipal Alcides Rodrigues Bassete e sua equipe de trabalho.

No entanto, desafios não são problemas para um município que tem História de gente hospitaleira, amiga, habituada ao trabalho duro no Campo e na Zona Urbana. Quem visita Adrianópolis, sai daqui com vontade de retornar. Muitos voltam e fixam moradas e se tornam mais um de nós.

 

Data de Emancipação Político Administrativo:

25 de Julho de 1960.

Centro da Cidade de Adrianópolis/PR- Foto Lúcia Santos.

Acompanhe abaixo a parte Histórica deste Município que completa 57 anos de “Emancipação Político Administrativa no dia 25 de Julho de 2017”

O Município 

O Município possui área total de 1.349 km², está a uma altitude de

154m em relação ao nível do mar e distam 134,90 km da capital do estado. Está localizado na área Metropolitana de Curitiba.

Adrianópolis tem como municípios paranaenses vizinhos: a leste, Cerro Azul; a Sul, Tunas do Paraná e Bocaiúva do Sul. No Estado de São Paulo, os municípios de Ribeira, Itaoca e Iporanga constituem fronteira ao Norte, e Barra do Turvo constitui fronteira a Leste do município.                 

Vista aerea de Adrianópolis. Foto: Arquivo da Prefeitura Municipal de Adrianópolis.

Atividades produtivas:

 

Agricultura (subsistência) Milho, tubérculos, verduras, feijão, banana, mel.
Pecuária: Bovinos, Suínos.
Serviços Artesanais em palha e fibras e industrializados tais como: Rapadura, taiada, doce de laranja, doce de abóbora, farinha de mandioca, apressado, pamonha de milho verde, paçoca de amendoim, paçoca de carnes de Porco socadas no pilão e de frango caipira. Artesanato em palha, em madeira, em cipó, Taboa, bambu, mel e outros.
Extrativismo: Madeira em tora para papel e celulose (Pinus).
Comércio: Lojas, Mercados, Feiras de produtores, padarias e bares.

Leite - COPLAR.

FABRICA DE CIMENTO.

 

Indústria dominante:

 

Produtos minerais não - metálicos.

Produtos alimentares.

Indústria de mineração. Industria Cimenteira

 

População atual Urbana e Rural;

 

Total de Habitantes:

População 2010 

6.376 habitantes.

IBGE-2010

  • POPULAÇÃO URBANA: 2060 HABITANTES.
  • POPULAÇÃO RURAL: 4.316 HABITANTES.

 

IDH(M):

Seu Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH) é de 0,683 o que lhe atribui a 374º colocação entre as 399 cidades paranaenses. 

 

Formação Administrativa

São encontradas diversas versões sobre o histórico do atual Município de Adrianópolis, sendo que a região é localizada num ponto de passagem, na divisa entre o Estado do Paraná e de São Paulo. Assim, a história de Adrianópolis aqui apresentada utiliza como base a observação de construções históricas e do histórico de ocupação da região como um todo.

Em 1624, foram abertas as primeiras estradas de Bocaiúva do Sul até

Ribeira, passando pela localidade de Epitácio Pessoa, o que deu início à ocupação local. Antes de 1920 estas terras pertenciam ao Estado de São Paulo, após a abertura das estradas as terras se tornaram um distrito de Bocaiúva do Sul.

Epitácio era uma vila composta por casas comerciais, igreja, residências, cartório e delegacia próprios.

Durante a Revolução Paulista de 1924, as tropas abriram uma nova estrada que também passava pelo Distrito de Epitácio Pessoa para o transporte de mercadorias. Esta estrada cruzava as terras pertencentes a Alcides Batista Dias, a fazenda Paranaí. Com a Revolução Getulista, em 1930, a região foi palco de lutas armadas e até hoje é possível encontrar sinais destas lutas ao encontrar fuzis usados na batalha revolucionária.

Foi também na época da Revolução de 1930 que o Distrito teve seu nome modificado, de Epitácio Pessoa, para Paranaí, por motivos políticos. 

Em 1932, utilizou-se a estrada que tinha sido utilizada como rede de ligação para tropas para construir a BR-476, que atualmente liga Adrianópolis a Curitiba.

Pouco tempo depois da construção da estrada, em 1937, uma mina local foi adquirida pelo pioneiro Dr. Adriano SEABRA da Fonseca, a primeira pessoa a instalar uma indústria de mineração no município. Nasceu, então, a Empresa Plumbum S.A, empresa de capital estrangeiro- (Grupo Francês) com uma filial no país. Em 1954, a Plumbum tornou-se uma fonte motora na indústria regional, sendo responsável por maior parte dos empregos registrados na região.

O Distrito de Paranaí foi desmembrado de Bocaiúva do Sul no dia 25 de julho de 1960, pela Lei Estadual n° 4245/60, tornando-se o Município de Adrianópolis, em homenagem ao fundador da Plumbum S.A. Sua instalação ocorreu em 15 de novembro de 1961, quando o primeiro prefeito, Eros Ruppel Abdalla, tomou posse.

Adrianópolis foi incluída na Região Metropolitana de Curitiba em 1995, pela Lei Estadual n° 11.096/95. No mesmo ano, a Plumbum encerrou suas atividades, com o fim do minério, o que causou uma crise econômica no município. Os empregados foram demitidos e muitos abandonaram a cidade em busca de melhores condições de vida. A Vila dos Operários é, até hoje, uma cidade fantasma. Comparando o recenseamento de 1991, antes do fechamento da empresa, e o de 1997, após o fechamento, pode-se notar uma taxa de crescimento de -1,15%.

Porém a expectativa é de que num futuro não muito distante o crescimento demográfico volte a crescer, pois temos expectativas de desenvolvimento sócio  - econômico para o município que deverá ofertar oportunidades de emprego e renda e com isso, muita gente deverá instalar-se  novamente em Adrianópolis.

Sob um enfoque não passadista, mas de valorização do elemento humano, da tradição e da estreita relação de Adrianópolis como tempo presente, a evocação do passado tem aqui o papel de condução explicativa e de reflexão sobre desafios futuros, a fim de prospectar dias melhores para os administradores, profissionais, funcionários e para todo o povo, razão de ser desta cidade nos seus 57 Anos de serviços prestados à sociedade.

 

Adrianópolis nos seus 57 Anos

A IMPORTANCIA DE SE FAZER  um “Resgate Histórico” dos diversos fatos que marcaram essa trajetória desde o início até os dias atuais tem uma razão simples: “História se Registra”. 

Ela nos importa hoje, mas muito mais á futura geração, amanhã.

Sejamos um pouco altruístas e realistas: O que seria da História sem registro? Imaginemos dois extremos: Se nunca tivessem registrado a evolução humana, conquista do espaço pelo homem ao pisar na lua pela primeira vez, a arquitetura o urbanismo, a geologia, a geografia, a agronomia e tantos outros fatos decisivos que ocorreram na História, certamente hoje não teríamos parâmetros, nem história, nem identidade. Que mundo seria o nosso?

É por isso que Adrianópolis precisa ter o seu registro. Por razões simples e ao mesmo tempo complexas. 

Somos nós, Pessoas, sociedade e comunidades, as peças fundamentais neste processo de organizar a construção dessa História no dia - dia. Não há História se estas não forem registradas.

 

Tempos Modernos: Adrianópolis procura demonstrar sua história de forma fiel, um registro honesto e importante do que fomos, do que somos e do que queremos ser, em todos os níveis de cidadania. 

Nas dezenas de páginas desta publicação você vai encontrar registros através de imagens que mostram como o município de Adrianópolis evoluiu em vários sentidos, desde o desenvolvimento social até temas mais específicos, como a acessibilidade

 

Acreditar que nós podemos muito. Nós podemos transformar.  

O Município de Adrianópolis ano a ano, busca caminhos e propostas para que sejamos destaque local, por um Estado e um País melhores. Mas se pensarmos globalmente, por um “Mundo Melhor, mais justo e mais igualitário.”

 

Adrianópolis - Uma Cidade que deu certo!

Adrianópolis é uma Cidade que tem por Unidade Mantenedora o Governo local através da Prefeitura Municipal - atual Prefeito SR: Alcides Rodrigues Bassete "Cid do banco" e vice-prefeito Sr. Vandir veterinário, sendo vinculado ao Governo do Estado do Paraná, e faz parte da Região Metropolitana de Curitiba. O Paraná conta com 399 municípios e todos têm uma história que evidenciam seu valor, porém para nós Adrianopolitenses, Adrianópolis é inigualável! Ninguém em nossa concepção supera a admiração o amor e o respeito que temos por nossa Cidade.

Podemos afirmar que Adrianópolis hoje, é um gigante que oferece grandes possibilidades de desenvolvimento sócio-econômico e por sua vontade de crescer ainda mais! 

Foram mais de cinco décadas de trabalho intenso, para se chegar ao que somos hoje. E estamos dispostos a continuar trabalhando intensamente para alcançarmos os objetivos propostos de forma a concretizá-los para o bem comum da atual e das futuras gerações.

Trabalhos importantes já foram realizados para definir a cara de nossa sociedade e de planejamento integrado para um desenvolvimento mais equilibrado e fundamental para o avanço econômico e social de Adrianópolis. Obras que se diga novamente tiveram a contribuição de profissionais competentes e todos foram essenciais para que isto se concretizasse, porém, nota-se que nos dias atuais, esse desenvolvimento abrangente a atual situação do município, conta com grandes expectativas de um futuro promissor, de desenvolvimento, de comprometimento das autoridades locais e de participação popular, nota-se que o povo, tem acompanhado diretamente esse desenvolvimento tão sonhado. É dessa importância e desse avanço popular que temos orgulho em citar, pois essa é a intenção da Gestão Atual: Trazer para as decisões a participação de todos os seguimentos da sociedade. Entendemos que ninguém caminha ou cresce sozinho. Queremos crescer juntos, conquistar juntos, comemorar juntos todas as benfeitorias.

Sabe-se que com o Fechamento da Empresa de Mineração PLUMBUM S/A no ano de 1995, o Município de Adrianópolis enfrentou uma das piores crises econômicas da época, muitos desafios, pois acabava com o fechamento da empresa que era a maior força econômica do município, famílias inteiras que tinham seu sustento aqui foram  pra outras localidades em busca de trabalho e de sobrevivência, á cada semana saia uma mudança da Vila Operária, “Panelas de Brejaúvas”. A convivência diária com a comunidade que era constante, tudo acabou. Mas o Município continuou sua trajetória com a população que aqui se manteve... (Verdadeiros guerreiros que seguraram com muita garra a desestabilidade econômica da época).

Mineradora Plumbum.
Mineradora Plumbum. Foto: Arquivo Publico Municipal

Hoje, superados esses desafios com muito trabalho, muita vontade de vencer... Temos caminhado bastante, mas os desafios ainda existem! Porém, temos uma característica muito especial que só os que acreditam possuem: - A esperança, a fé e a certeza de que no amanhã haveremos de superar as expectativas, pois é para essa possibilidade que estamos voltados!

Para um futuro promissor, na certeza do pleno desenvolvimento social e humano.

Sabemos que Adrianópolis tem novos caminhos a vencer, mas, apesar das intempéries vividas, conclui-se que essa evolução já é impressionante. Completar 57 anos já é por si só, uma data emblemática, pois representa um marco para nossa História.  Para Adrianópolis, essa idade representa um conjunto de conquistas. 

Pretendemos que Adrianópolis alcance sua total plenitude no cumprimento de sua missão e trabalhamos para que isso aconteça. Assim, sem sombra de dúvidas, somos uma referência para os profissionais e a sociedade que construíram e continuam construindo a Adrianópolis de amanhã.

Esperamos de forma positiva o progresso para toda a nossa população, é pra isso que estamos trabalhando incansavelmente. O objetivo é AVANÇAR sempre e a Meta é VENCER!  Temos propostas para a instalação de Várias Fábricas de cimento no município, dentre elas: Supremo, Votorantim, Plumbum, dentre outras, e com esses empreendimentos concretizados, significa que teremos estabilidade econômica e garantia de qualidade de vida com dignidade, isto é, geração de emprego e renda para toda a população do município e região, fortalecendo o desenvolvimento e o progresso sustentável em Adrianópolis e no Vale do Ribeira. A perspectiva de que teremos um futuro promissor já é realidade e de que seremos a “Capital do Cimento”, é uma certeza!

 

Inovações tecnológicas viram salto em 57 anos de Adrianópolis:

 

Imagine a vida sem internet. As notícias demorariam intermináveis horas para chegar ao seu conhecimento. Ter notícias de um parente ou amigo distante dependeria de uma boa letra sobre o papel da carta que levaria dias para ser entregue ao destinatário, mesmo com toda a eficiência dos correios.

E se também os telefones não existissem com uma conexão instantânea ou a praticidade de levá-los no bolso? E se não houvesse energia elétrica, esgoto, água encanada, estradas pavimentadas ligando todos os bairros á sede ou nossa cidade com a BR476 asfaltada com acesso á Capital e á outras cidades? A gente nem se dá conta, mas não faz tanto tempo assim que nossa vida ficou muito mais fácil...

Voltemos o relógio da História para meados da década de 30. Em Paranaí as inovações tecnológicas chegavam a conta-gotas. Muitas coisas desta natureza talvez tenham sido trazidas na época da Revolução pelo exército em 1930/1932. 

Tecnologia pra muitos que viveram nesse tempo, nesta região, não existia. 

A produção local de modernos e revolucionários aparatos sequer era imaginada. O Estado, espremido entre duas potências políticas, São Paulo e Rio Grande do Sul, se mantinha na pacata e inofensiva cordialidade de ser uma espécie de quintal do vizinho do Norte. As novidades técnicas serviam basicamente para melhorar o desempenho do estado agrícola que ainda não tinha aprendido a andar sozinho.

O que, então, separa aquele “Paranaí Rural” de mais de 57 anos atrás dos dias atuais é impressionante! 

Houve ainda nos últimos anos e ainda há ofertas de cursos de Educação á Distância com Pólo em Adrianópolis através do ITDE, implantação de Tele Centros na sede e em vários bairros inclusive possibilitados na Gestão Atual, que fez inaugurações de vários tele centros em bairros que jamais poderíamos imaginar. 

Hoje em Adrianópolis, sede e bairros, as escolas estaduais, contam com laboratórios de informática. Ficamos felizes com o grande passo que tivemos e com a acessibilidade á maioria das camadas sociais, proporcionando uma infraestrutura física que melhora a qualidade de vida da população e dos estudantes. Até porque, vimos evolução em lugares onde não se podia imaginar que isso seria possível e foi! Sabemos que temos muito ainda o que avançar e vamos avançar! Porque Adrianópolis trilha um caminho planejado e sabe para onde vai e aonde quer chegar!

Sem deixar de falar de uma das maiores obras já realizada nesses 57 anos de história, que foi a pavimentação asfáltica da BR-476 que antes era um caos e hoje incomparável!

 

Vejamos nas imagens abaixo, por exemplo, o antes e o depois da BR-476 que liga Adrianópolis á Curitiba:

BR 476 - Há tempos atrás. Foto: Arquivo.
BR 476 - Há tempos atrás. Foto: Arquivo publico.

 

Situação da BR 476 em tempos de chuva:

Se a situação era assim, nessa época em que as pessoas já tinham carro, e também já podíamos contar com a linha de ônibus da Empresa Cerro Azul que ainda permanece aqui na linha Adrianópolis á Curitiba, imaginem em tempos anteriores a este! Muita gente que necessitou ser hospitalizada por motivo de doenças ou parto perderam  a vida nesta dificuldade toda  e houve até quem nasceu na estrada! Tempos difíceis! Muita gente nossa morreu acreditando e sonhando que um dia essa situação mudaria! E realmente Mudou! Pena que muitos não ficaram pra ver!

Veja abaixo a realidade atual. Depois de muita luta, enfim o asfalto chegou para facilitar a vida de todos!

Mais uma conquista de nossa gente!

Mais um marco importante na história de nossa terra!

BR-476 Asfalto nos dias atuais. Foto: Lúcia Santos.
BR-476 Asfalto nos dias atuais. Foto: Lúcia Santos.

 

SUPREMO SECIL CIMENTO 

Produz Cimento Portland ensacado e a granel e atende toda a região Sul do Brasil, além do estado de São Paulo.

Conta com um rigoroso controle de qualidade e realiza ensaio diariamente em seus produtos, tudo para garantir um cimento de excelente qualidade e rendimento.

A Supremo também se destaca pelo nível de excelência no atendimento, buscando relações mais próximas e duradouras com os parceiros comerciais.

È por essas e outras conquistas que com certeza ainda virão, que Comemoramos com alegria esses 57 Anos de Emancipação Político Administrativo e convidamos  o Povo de Adrianópolis e todos os amigos que como nós aprenderam a amar e respeitar esse lugarzinho tão especial que cativa a todos com suas exuberantes belezas Naturais , com suas características  inigualáveis e inconfundíveis e que nos faz perceber que vivemos no melhor lugar do mundo e que viver aqui não tem preço!

Foto: Reprodução - Supremo Secil Cimentos
Foto: Reprodução - Supremo Secil Cimentos

PARABÉNS ADRIANÓPOLIS!

Parabéns ao nosso povo merecidamente que aqui se instalaram ajudando a construir nossa História!

Parabéns á todas as Autoridades que já lutaram e aqueles que continuam lutando por uma cidade ainda mais fortalecida, sustentável e de sucesso! De forma muito especial, aos seus administradores: 

Sr. Eros Ruppel Abdala - 1° Legislatura;

Sr. Alcy Mello 2° e 4° Legislatura;

Sr. Loiziel Ruppel Bittencourt popular Zuza  - 3° Legislatura;

Sr. Osmar Maia - 5°, 7° e 11° Legislaturas;

Sr. Agertino Milani - 6° Legislatura;

Sr. Teodoro Marques de Oliveira – 8° e 10° Legislaturas;

Sr. José Carlos dos Santos (SUKITA) - 9° Legislatura;

Sr. João Manoel Pampanini - 12° e 13° Legislaturas;

Sr. Alcides Rodrigues Bassete 14° Legislatura.

Totalizando  9 administradores  que com fé e confiança desempenharam um trabalho  em prol do desenvolvimento sócio econômico, acreditando em dias melhores e nas conquistas tão sonhadas por nossa gente!

 

DOCES RECORDAÇÔES DE PARANAÌ- POR JOÃO MARCELO.

 Adrianópolis /PR e Rio Ribeira. 

Episódio 7: Sabores & Aromas

Tenho gravado em minha memória, passagens de minha infância, imagens de lugares e pessoas com as quais tive o privilégio da convivência.

Trago encalacrado em mim, traços e costume, paladares e olfatos, sabores e aromas, os quais eu tenho enorme facilidade na identificação.
De nossos sentidos, ou seja, a visão, a audição, o tato, o olfato e o paladar eu acredito que o paladar e o olfato desenvolvam num constante experimentar. Na minha infância, provei e degustei comidas típicas da região do Vale do Ribeira. Descobri sabores e aromas, doces e salgados.
Na primeira infância, até por volta dos meus sete anos, morando na Plumbum (vila do Alto) lembro bem da merenda escolar, lá no Grupo Escolar AdrianoSeabra  da Fonseca, todos os dias as merendeiras com presteza e dedicação, o alimento, nos ofertavam. Destes , tenho no paladar a sopa de fubá, carregada na cebola e ovos "estalados". Era muito bom!
Lembro com carinho da professora Cida (Aparecida), a qual me acompanhou já na pré-alfabetização. Dedicava sua atenção, como num pré-primário, com atividades motoras de cortar e colar. Veio a ser a professora responsável pela minha alfabetização, já na metodologia da cartilha "Caminho Suave".
Nesta época, fui apresentado a um doce saboroso, oriundo de uma fruta nativa e abundante na região, a banana. Eram maravilhosos, os sonhos fritos e recheados com este doce e envoltos no açúcar com canela.
Já morando na sede do município, ou seja, em Paranaí tive proximidade com muitos sabores e aromas.
Fui contemplado com uma infância livre, típica de uma criança do interior, de uma pequena cidade. Fui de andar "pé no chão", estilingue no pescoço, comer frutas no pé. Não existiam os temores e neuroses atuais.
Esta liberdade proporcionou aventurar e fazer descobertas. Ao chegar ao Carumbé, deparei com uma abundância de frutas, principalmente bananas e goiabas.
Vindo da Plumbum à esquerda, descendo o morro existia a Casa Grande, era assim que a chamávamos. Infelizmente em 2010 quando aí estive só restavam ruinas. Margeando a estrada e morrendo no ribeirão, num formato triangular existia um bananal rico em espécies. Era possível encontrar nanica, ouro, prata, maça e até "da terra". Estas últimas são aquelas cortadas em tiras, as quais fritas, são uma saborosa sobremesa.
Já do outro lado da estrada, ou seja, fazendo fundo para o rio Ribeira no entorno da casa em que morei, havia inúmeras goiabeiras, tanto da branca como vermelha. Desta casa nem vestígios mais existem.
As estadias de minha avó Geralda na fazenda eram um "assoprar no tição e um chamuscar de tacho". Era um fazer doces, de toda e qualquer fruta, que a natureza na sua generosidade ofertasse.
Nestas oportunidades, eu propunha a ajuda-la, mas o mexer constante, o calor e os respingos quentes e grudentos eram incômodos e monótonos, então eu logo desistia.
Minha avó era uma pessoa extremamente organizada. Ela possuía umas "caxetas" de madeira com tampas deslizantes. Estas caixas forradas com papel manteiga acondicionavam os doces preparados.
No final da primavera e início do verão, cruzando o ribeirão Carumbé adentrávamos nas terras do pai da Selma, o senhor Valério Mottin. Margeando e subindo o ribeirão, logo inúmeras e carregadas Jabuticabeiras encontrávamos, estas por informações recebidas, surpreendentemente são existentes e ainda produtivas.
Com a inocência de uma criança, confesso que muitas vezes tal propriedade eu e muitos outros "pias" invadimos e pelos galhos destas Jabuticabeiras muito nos deliciamos.
Os nipônicos cultuam como ritual, a florada da Cerejeira (o Sakura), o qual ocorre sempre em agosto. Então questiono: Seriam mais belas que a florada das Jabuticabeiras? Além de todo o caule e galhos recobertos pelas pequenas flores, no seu tom marfim. Temos o zumbido das abelhas num constante voar, seduzidas pelo néctar a exalar seu agradabilíssimo perfume.
Longe de criar uma polêmica, deixo esta indagação e que cada um, posicione como quiser.
Chegando à Barra Grande tomando a bifurcação para o Descampado e Epitácio, logo à frente e a direita, dando fundo para o ribeirão, existia o sítio de "seo" Natalino. Tive a oportunidade de perceber e presenciar a exuberância daquele sítio, o qual era um verdadeiro pomar, com muitas frutas, hortaliças e legumes.
Pela estrada do Descampado muito passei. Na aurora do amanhecer, ainda sem o sol apontar no horizonte e a brisa da manhã no rosto a bater, junto de meu pai Zé Waldir e alguns camaradas, de trator seguíamos para a fazenda Santa Bárbara. Era outra propriedade de meu avô, usada na invernada de bezerros desmamados.
Era a última propriedade de uma estradinha, ao chegar deparávamos com um riachinho afluente do Ribeirão Grande. Imediatamente antes e a direita, próximo da estrada via se o estábulo e a casa do João Lica, moço bacana, prestativo e amicíssimo de meu pai. Ao retornarmos para o vale do Paraíba, o João Lica foi o adquirente destas terras, anexando as suas já existentes.
Na fazenda Santa Bárbara existiam alguns pés de Mexericas, eram de fruto grande e de casaca grossa, rugosa e verdolenga, mas de um sabor inquestionável.
Quando estavam formalizando o cooperativismo, embrião e origem da Cooperativa de Laticínio, meu pai muito andou pelos sertões e comunidades rurais. Quando eu tinha oportunidade, adorava acompanha-lo.
Numa destas oportunidades estivemos na cidade de Itaoca, tomamos a balsa para cruzar o Ribeira. O balseiro num esforço braçal de puxar fazia movimentar as carretilhas suspensas sobre o cabo de aço, como uma tirolesa fosse. Assim como resultante vetorial das componentes das forças, os flutuadores da balsa deslizavam sobre as águas vencendo e alcançando a outra margem.
Lá em Itaoca tivemos na casa do "seo" Alberto, o qual conjuntamente com seu irmão Manuel, tornaria os responsáveis pela coleta diária do leite até a câmara fria na fazenda Carumbé, e na madrugada seguinte transportariam para a Cooperativa em Curitiba. Foram verdadeiros desbravadores.
Nesta época o "seo" Alberto fabricava queijos. Ao chegarmos a sua casa deparamos dependurados no teto, girais similares a defumadores. Estes suportavam muitos queijos no processo de cura, era do tipo "Cabaça". Degustamos um formidável "meia cura" de cascas grossa e interior tenro.
Tenho Itaoca como cenário de outra passagem, uma visita ao futuro proprietário do Carumbé, o Januário Trannin. Em sua fazenda chegamos já no crepúsculo.
A casa sede era um majestoso sobrado pintado na cor rosa. Ao seu redor existia um enorme terreiro calçado. Destes utilizados para secar grãos, como o café e o feijão. Logo algo chamou minha atenção, num canto e na borda do terreiro jazia a carcaça de um caminhãozinho calhambeque. Não me contive e a ele me dirigi e já sentado na cabine, flutuei em imaginação.
Anexo a casa existia uma enorme cozinha, nesta oportunidade degustei costelinha de porco frita envolta na farinha de milho e também torresmo.
Já noite alta ao retornar, na barranca do rio deparamos com a balsa apoitada na outra margem. Foi um relampejar de farol e berros a ecoar. Enquanto a balsa em nossa direção sobre o rio deslizava, na luz do luar o Ribeira nos brindava, com suas águas como espelho refletindo o bailar das nuvens soltas ao vento.

Episódio8: O Aparteador

 Como morador em fazenda, tive poucas oportunidades de "pegar no batente", abraçar a"lida". Naturalmente era trabalho bastante pesado para uma criança. Mesmo assim quando convocado, não fugia da briga, gostava e ajudava de bom grado.

Destas convocações, a atividade que mais me agradava era apartar bezerros.

Ao entardecer os bezerros eram retirados dos piquetes, onde após a ordenha eram mantidos. Então recolhidos no curral, ficavam em área coberta até a aurora seguinte, quando nova ordenha iniciava.

O processo de ordenha exigia critério e uma sequência lógica a seguir, era achamada "ordem de ordenha". A destreza do aparteador estava em conhecer cada bezerro e conforme o nome da vaca, pelos camaradas era "cantado", liberar sua correspondente cria para então esta ordenha iniciar.

Nestes momentos pude observar situações as quais me impressionaram, a força dos laços afetivos de um animal e sua cria. Bezerros de dias, com o cordão umbilical á secar e ainda num andar vacilante, pelo olfato e ou pela sonoridade do berro,entre dezenas de vacas sua mãe logo identificava.

Tempos depois passei a entender o propósito da "ordem de ordenha". O objetivo era manter um mix homogêneo do leite, coletado em cada tambor. Considerava aí: o período lactante de cada animal, a capacidade produtiva em volume e o índice de gordura.

No laticínio em Curitiba, cada tambor de leite era analisado e classificado com base no índice de gordura contida. Isto determinava a qualidade do leite,portanto o valor a ser pago ao correspondente produtor.

Neste relato, não poderia deixar de lembrar-se dos camaradas, os quais na fazenda,muito ajudaram meu pai. Destes destaco em especial, o "seo" Alcides e o ZéÂngelo. Pessoas simples, as quais combinavam com a atmosfera desta terra. Eram pessoas responsáveis, determinadas e imbuídas de propósitos. Tentarei descrever um pouco as características e valores de cada um:

O "seo" Alcides era o braço direito de meu pai, era o coordenador na ordenha, com atenção a todos os procedimentos que o leite exigia. Sua filha Maria veio trabalhar em casa,moça de temperamento forte, organizada e caprichosa. Com certeza com valores adquiridos e herdados de seu pai.

Minha mãe como professora dava aula em dois períodos, não tinha muito foco nos afazeres da casa. Ela alegrava e surpreendia em ver a casa tão bem cuidada. Alimpeza do assoalho, panos de prato alvejados numa brancura total. Nos quartos as sapateiras feitas de sacos, dependuradas atrás das portas, sempre lavadas,limpas. Nestas repousavam pares de sapatos, rigorosamente ordenados e limpos.Minha mãe sempre dizia "a dona da casa é a Maria".

O Zé Ângelo era "pau pra toda obra", encarava as atribuições delegadas. Quando veio trabalhar na fazenda, omitiu não saber nada da "lida" com animais.

Nos primeiros dias de trabalho, uma vaca perdida e desgarrada pelos pastos montanha acima ficou. Lá foi o Zé Ângelo no lombo do cavalo tordilho manga larga,chamado Guarani. Pensativo e no sacolejar a vaca foi buscar. Passado algum tempo, mais adaptado e seguro no manejo diário, ao meu pai o ocorrido confessou.

Quando do nosso retorno em definitivo aqui para o leste paulista, sei que o Dr Oto o"seo" Alcides para a Plumbum levou. Já o Zé Ângelo na prefeitura deAdrianópolis foi trabalhar.

Saibam os dois e ou seus descendentes que o "seo" Waldir, meu pai, dedica a vocês um especial apreço, sempre relembrando fatos.

Ficam aí fragmentos de um cotidiano vivido...

 

Episódio 5: Carumbé, um ribeirão...

Ribeirão por vezes de águas escuras, conseqüência da varredura das águas ao longo de seu curso, abraçando a mata, beijando árvores e retirando das margens todo o material orgânico sedimentado. Em outras de águas barrentas, denunciando a ocorrência de fortes chuvas serra acima, sobre sua cabeceira e afluentes.

Ribeirão de águas cantantes, seixos rolantes. De corredeiras rasas com um espumar prateado, processo natural de aeração, oxigenando suas águas e potencializando a vida.

Pelos pastos da fazenda Carumbé muitas trilhas existiam, conseqüência de uma das características natural do homem, a mobilidade. Algumas destas obstruídas e interrompidas pelo ribeirão. Assim, pelo seu leito presenciei a manifestação e o exercício da criatividade se opondo e vencendo adversidades.

O Caboclo na sua simplicidade e rudez, sem saber intuitivamente aplicava a Engenharia.

Na oferenda da natureza, escolhiam sabiamente árvores de caule único. Normalmente escolhia a árvore ideal, o Guapiruvú. Num esforço braçal, após o corte arrastavam estas torras, posicionando-as na transversal sobre o leito e entre bordas do ribeirão.

Pronto! A continuidade das trilhas estava assegurada. Estava também construída uma "pinguela", é assim que são conhecidos estes artifícios de transposição.

Algumas destas "pinguelas" apresentavam certo grau de sofisticação. Para maior segurança e conforto continham também balaústres e corrimão. Tudo firmemente solidário e bem amarrado com cipó.

Não sei precisar em qual período do ano, ao entardecer pelas trilhas que margeavam o leito do Carumbé dezenas de pessoas, homens e mulheres, adultos e crianças para a barra deste ribeirão dirigiam-se.

Distribuídos pelos barrancos, ou mesmo com água pelas canelas, todos lançavam suas varas de pescar ou mesmo linhadas de mão, era um constante capturar de Lambaris e "Cadelas". Assim chamavam uma espécie de Lambari, que na linha da espinha até a calda apresentavam uma coloração avermelhada e na boca muitos dentes.

Isto emoldurado pela montanha de mata virgem avistada na outra margem do Ribeira, com rugidos de macacos a ouvir. No oeste o sol a deitar, refletindo um espectro dourado sobre as águas.

 

Episódio 6: O Poço...

Indistintamente o Carumbé com suas águas ofertava a todos. Em seu curso, numa constância paciente e natural criava e recriava praias, remansos e poços. Destes imagino o "poço da ponte" ser o principal.

Era uma piscina natural. Um espaço de lazer onde todos tinham acesso era só chegar e usufruir.

Ali nas tardes de domingo, sobre o sol de verão a alegria pairava pelo ar. O burburinho, o falar das pessoas dava uma alegre sonoridade ao ambiente. Eram pessoas banhando o corpo e refestelando se no refrigério das águas. O semblante das pessoas demonstrava um bem estar, um renascimento para a nova semana com seus afazeres e preocupações enfrentar.

A consciência do bem coletivo ali era exercitada. Cada qual ao seu modo, sem normas ou regras, contribuía para manter o dique de pedras, responsável pela contenção das águas.

Quem sobre a ponte do alto olhava, podia observar seixos empilhados numa geometria livre, descrevendo uma linha sinuosa emergindo a superfície, interligando as margens e naturalmente represando as águas.

Alguns metros abaixo, carros e caminhões disputando espaços sobre as águas. Seus proprietários com canecas e baldes nas mãos a lava- los.

Nestas águas muito me banhei e brinquei, pude conhecer pessoas, observar comportamentos e características.

Lembro-me de um rapaz chamado Odair, que ao entardecer ao poço vinha se banhar. Com peculiar trejeito possuía um estilo de nadar nada clássico. Era um puxar com as mãos e bater simultaneamente com os dois pés sobre a superfície d'água, projetando seu corpo à frente em solavancos. Tal conduta espirava água a uma altura considerável, atingindo pessoas que lá no alto, do gradil da ponte observava.

Em certas ocasiões, num quase engatinhar, contra a correnteza ele subia o ribeirão, tateando as barrancas argilosas de suas margens.

Das tocas encontradas, com as mãos capturava um peixe de aparência feia, quase pré-histórica. Eram os Cascudos. Num sorriso de satisfação dizia: "um belo ensopado será feito".

O que vou relatar a seguir pode parecer "conversa de pescador", mas acreditem! É verdade verdadeira.

Meu avô ao planejar seu retorno aqui para a cidade de Mogi das Cruzes tinha por hábito alguns rituais, entre estes no Carumbé seu carro lavar. Numa destas oportunidades meu tio Josemir, a pedido de meu avô, com a Kombi para as águas do Carumbé rumou.

Como de costume, no meio do ribeirão parou. Águas em corredeiras, com seu nível no meio das rodas a bater. Portas abertas, tapetes de borracha retirados, lavados e na barranca sobre arbustos a secar.

A porta lateral do compartimento de passageiros, com suas folhas duplas escancaradas, engoliam uma fina lamina d'água que estendia sobre e por todo assoalho corrugado.

Após muito bater água, esfregar e ensaboar a lavagem chegava ao seu final. Agora era retirar o carro das águas. Alguns metros no seco em suave aclive era observar o escorrer, o molhar do chão, dando ao saibro uma coloração forte alaranjada.

Na madrugada seguinte meu avô partiu. Chegando aqui, na atribulação e no muito fazer, após dois ou três dias decide a Kombi lavar. Passado algumas horas, Kombi lavada era hora de no posto buscá-la. Lá chegando, todos queriam saber por onde aquela Kombi andou.

Desconfiado e curioso pela indagação, ele explicou que no vale do Ribeira, na cidade de Adrianópolis esteve. A seguir aparece um lavador com um balde nas mãos a mostrar, um Cascudo vivo na água a nadar.

Assembleia aprova greve geral a partir do dia 23 de abril  de  2014.
Decisão histórica foi tomada neste sábado (29). Educadores(as) cobram cumprimento de leis e melhores condições de trabalho

Mais de mil educadores e um consenso: a categoria está decepcionada com o descaso e com a lentidão nas negociações com o governo do Estado. Trabalhadores e trabalhadoras da Educação representando todos os 29 Núcleos Regionais da APP-Sindicato no Paraná, estiveram presentes na assembleia que decidiu pela deflagração da greve geral da categoria.

Após uma manhã de intensos debates sobre a conjuntura política, estrutural e econômica do Paraná e a da análise histórica e minuciosa do trabalho da APP na defesa dos direitos da categoria, a quase totalidade dos educadores e educadoras decidiu, em votação democrática, pela intensificação do calendário de mobilizações para os meses de abril e maio. Haverá greve geral nas escolas públicas e estaduais a partir do dia 23 de abril.


foto de APP-Sindicato


A Assembleia também aprovou a realização de um acampamento em frente ao Palácio Iguaçu nos dias 23,24 e 15 de abril, e a continuidade da campanha “Hora-atividade pra Valer”.

Os(as) educadores cobram, entre outros, os 33% de hora-atividade; a implantação do Piso Nacional para o professor (mínimo de 8,32%); o reajuste no mesmo índice do Piso Regional (7,34%) para os funcionários(as) de escolas; o pagamento das promoções e progressões em atraso; o fim do corte do auxílio transporte para os(as) afastados por licença médica; melhoria do contrato PSS, e a implantação de um novo modelo de atendimento à saúde do funcionalismo público.

A votação expressa a atuação do Sindicato diante das insistentes negativas do governo. Para a presidenta da APP, professora Marlei Fernandes de Carvalho, esta assembleia foi positiva. "Todos nós estávamos favoráveis à greve. Agora a categoria precisa se organizar para construir o movimento para fazer com que o governo atenda as nossas propostas". O secretário de Imprensa da APP, professor Luiz Carlos Paixão reforça que a greve é uma das formas de pressionar o governo do Estado. "Mais uma vez a categoria mostrou sua força e unidade. Agora todos nós temos o desafio e a tarefa de construir a partir do seu local de trabalho uma greve histórica para a educação do Paraná. Caso o governo não queira a greve, que apresente uma proposta concreta para o atendimento dos principais reivindicações da categoria”, salienta o professor Paixão.

Confira o calendário de mobilização aprovado pela assembleia:

(Conjunto de atividades começando no dia 30 de março)


30 de março até 30 de abril – realização de assembleias regionais em todos os núcleos sindicais da  APP-Sindicato Sindicais da APP.
Dia 8 de abril – Encontro Estadual de diretores e diretoras da escolas sobre o porte de escola.
Dia 9 de abril – Marcha da classe trabalhadora, em São Paulo, na Pça da Sé às 9h. Envio de caravana do Paraná.
Dia 14 de abril – Mobilização com vigília dos aposentados e aposentadas pela implantação do nível II na tabela. (10 horas reunião na APP, 14 horas mobilização na Alep e 17h até 00h vigília no Palácio Iguaçu).
Dia 23 de abril – início da greve dos(as) educadores(as) paranaenses.
Do dia 23 até 25 – Acampamento em frente ao Palácio Iguaçu em Curitiba. Durante o acampamento será realizada  devolução simbólica do Cartão Saúde do Governo.
Do dia 24 até 30 de abril – 15ª Semana Nacional em Defesa da Educação Pública, organizada pela CNTE.
29 de abril -  Ato Público em Curitiba.

Ações que antecedem à greve – Outra decisão da assembleia, foi a realização de recepções ao governador em suas atividades nos municípios do Paraná. A campanha Hora-atividade pra Valer continua. Os(as) presentes aprovaram por unanimidade a continuação da campanha nas seguintes datas: 4, 10, 16 e 22 de abril.


A Assembleia Estadual deste dia 29 não foi encerrada. A categoria continua em assembleia  permanente. O que significa, que a qualquer momento a direção do sindicato poderá reinstalá-la.  

Prestação de contas – Antes da realização da assembleia extraordinária que deliberou pelo início da greve, houve uma assembleia geral ordinária com a prestação de contas da entidade referente ao ano de 2013 e a apresentação do Plano Anual de Aplicação Orçamentária para 2014. Após a leitura detalhada dos documentos e da exposição dos pareceres favoráveis do Conselho Fiscal da APP, tanto o balanço financeiro e patrimonial gerado no ano passado, como a previsão de investimentos para este ano, foram aprovados por unanimidade dos participantes.

O secretário de Finanças da APP-Sindicato, professor Miguel Baez, explica que a entidade aprimora ano após ano sua gestão financeira e administrativa e considerou sobre o crescimento do Sindicato. ‘Com o atual ritmo de crescimento da APP, tanto em estrutura física, quanto em número de sindicalizados, temos a certeza que em 2014 teremos números ainda mais otimistas’, avaliou o secretário.


FONTE : APP SINDICATO PR.

 Adrianópolis fecha  festividades dos 52 anos  do  Município com Diplomacia  e  superando-se  cada vez mais!

O Desfile Escolar  realizado no dia 29/07 com início previsto para as 10:horas da manhã  foi sensacional!!

 

Que sucesso fizeram as crianças e adolescentes de todas as escolas!Parabéns as Diretoras e Diretores das Escolas da Rede Municipal e Estadual que abrilhantaram a Avenida Principal da cidade !O que vimos foi uma volta a infância, buscando resgatar e enfatizar os contos infantis, até porque dia 25/07 além do aniversário da cidade é também o "Dia do escritor", assim , provavelmente todos puderam se encontrar e relembrar grandes personagens  que fizeram parte da vida de todos nós adultos quando crianças.E muitos desses personagens encantam e dão sentido á vida de nossas crianças e adolescentes, como os super-heróis que sempre encantou á todos,  os contos de fada , cinderela, chapeúzinho que nos ensinaram a sonhar com castelos, Reis e Princesas, bruxas,Duendes, enfim.O tema foi perfeito! Parabéns a Diretora de Cultura RITA A.Mottim, e toda a Equipe da Educação de Adrianópolis. Como disse a Secretaria de Educação, as roupas foram todas confecionadas pelas costureiras do município e diga-se que com muito bom gosto e criatividade! Todos os anos Adrianópolis recebe a Banda  de Fanfarra "TREME TERRA" que dá vida e rítmo ao desfile com apresentação coreogafica de tirar o fôlego dos que assistem   o desfile centralizados á Praça Antônio Dias Agibert no Centro da cidade.Nossos aplausos e agradecimentos especiais a belíssima apresentação e aos responsáveis por essa brilhante banda!Momento que emocionou a todos os presentes foi  quando entoamos  O hino Oficial de Adrianópolis, cantado pela professora Gislaine Pereira, da Escola Quilombola Diogo Ramos de forma magnífica e suavemente, acompanhada pelos presentes   no evento.

Vejam abaixo algumas fotos do Desfile:

 

Foto de Emanuel Pereira.

 

Foto de Emanuel Pereira.

 

Foto de Emanuel Pereira.

 

Foto de Eliane Machado.

.

 

Foto de Eliane Machado

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

Foto de Eliane Machado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto de Emanuel Pereira.

 

CURSOS DO SEBRAE EM ADRIANÓPOLIS/PR.

Agosto vem ai com muito mais pra você!!!

O SEBRAE trás para você várias opções , não deixe de fazer sua inscrição e participar das oficinas. Confira abaixo, os locais, datas e horários disponíveis para a realização dos cursos ofertados.

Para qualquer dúvida  ligue:3678-1295 (Claudinei).

Procure a Prefeitura de Adrianópolis e inscreva-se!

Lembre-se: "Quem tem CONHECIMENTO  tem PODER!"

Acompanhe abaixo toda a programação na sede e nos bairros:

 

Mais uma vez Adrianópolis sai na frente e faz sucesso total na região ao promover o Grito de Carnaval na Praça Central da cidade...

Muito descontraídos e animados, a comunidade local e visitantes de toda a região curtiram o evento que aconteceu nos dias10 e 11 de fevereiro ao som das bandas que animaram a todos  como:Sexta -feira Banda LEFIGARROO e DJ KAUL WILLIAN, no sábado a animação foi por conta da Banda  CLAN KEBRADERA BRASIL e ERICNETO E BANDA e novamente a continuidade do DJ KAUL WILLIAN.A alegria foi contagiante, muita gente bonita, sorrisos, e muita diversão, juventude feliz, famílias presentes, opções de barracas com comes e bebes para servir os presentes.O evento contou com a presença dos patrocinadores João  Manoel e seu Vice Fábio Dorizon  e  do Presidente da Câmara Municipal Sandro Santos que festejaram com o povo, felizes  por proporcionar  esse momento a todos os presentes.

dsc00035 dsc00055 dsc00017 dsc00054 dsc00078 dsc00104 dsc00106 dsc00115 dsc00111 dsc00023 dsc00044 dsc00063  dsc00117 dsc00110 dsc09898 dsc09909  dsc09929 dsc09933 dsc09953 dsc09955 dsc09960 dsc09969 dsc09977 dsc09917

Veja todas as fotos nos albuns:

Facebook de Adrianópolis Paranai.  http://www.facebook.com/profile.php?id=100002999105200&sk=photos

FOTOS - LAURO OLEGÁRIO.

Foi um sucesso a festa Julina do CESB que ocorreu no dia 02 de julho.Apesar do temporal a que estivemos submetidos, a comuniddade não desistiu e veio trazer sua colaboração para a realização do evento. Apenas os ônibus dos bairros ficaram impedidos infelizmente  de virem devido ao mal tempo. Mas o  Show de prêmios ocorreu da mesma forma, sem nenhum impasse. Os diretores do CESB, professor Paulo Amador  e professora Lúcia Santos, agradecem aos nossos colaboradores na doação dos prêmios para a realização do TRADICIONAL BINGÃO, beneficente. Ás mães que doaram bolos e aos amigos que se fizeram presentes durante o evento. De acordo com a Diretora Lúcia  que disse:"Que bom que nesses 61 anos de CESB, podemos contar com a assiduidade da comunidade, dos pais, da direção , dos professores  e dos funcionários, pois é Tradicional no CESB a realização da festa Julina, esperamos que este prestígio que nosso Colégio  representa na formação de nossa sociedade seja preservada. Deus abençoe a todos por essa consideração!"Mesmo com um tempo chuvoso todos estiveram presentes e ouviram o chamado .Estamos felizes por conseguirmos atingir nossos objetivos e tudo isso só aconteceu porque pudemos contar com a presença e colaboração de todos vocês!

Foram  muito lindas  as apresentações das  Danças de Quadrilhas e Country-Parabéns aos  coordenadores  destas atividades( Dayane e Heloísa) , aos alunos e alunas participantes e sem deixar de agradecer aos professores e funcionários que estiveram presentes dando sua fiel contribuição nos trabalhos da festa .A todos nossos sinceros agradecimentos, pois mais um ano  o CESB deu contas do que se propõem a realizar com sucesso, afinal é pra isso que trabalhamos de forma coletiva e incansável!

Sabe aquelas pessoas que se destacam pela sua  simplicidade, suas atitudes, seu jeito sertanejo, rústico, enfim,  aquelas pessoas do interior que acabam chamando a atenção e se tornam um ícone da sociedade ou da região onde vivem? Pois é toda cidadezinha de interior tem suas personalidades folclóricas e aqui em Adrianópolis é o que não falta! Vamos á eles:Quem não lembra do Falecido Landão? E do seu irmão, o Seriaco? Esse é vivo e mora lá no Porto Novo. Segundo o que contam, certo dia, os dois irmãos, já há algum tempo sem se ver, acabarm se encontrando na estrada que vai pra Ribeira. Um estava indo, o outro estava vindo. Os dois estavam bebados.

O Landão falou :

-Oi Seriaco! Tá vindo da onde rapaz?

Seriaco:

-OI Lande, eu tou vindo do Inferno!

Landão:

-Credo rapaz!  Não me diga!Por acaso não viu papai e mamãe por lá?!

Também tem outro personagem, que eu duvido quem não se lembre:O Barduíno, homem rústico, que sempre contava seus causos.Vinha lá do bairro das Canoas contar causos e todo mundo o conhecia.Pra quem não sabe ele faleceu  no dia 26/08/2009. Conta-se que em seu velório, tinha muita gente e que ele sempre gostou de fazer os cachorros brigarem. Quem foi disse que a cachorrada brigaram á noite inteira! Todo mundo ficou impressionado e que todo mundo que estava no velório estavam contando histórias, não tinha ninguém triste!Mas uma das últimas do Barduíno é que ele já estava bem de idade e sofria com muitas dores nas pernas, não podendo mais andar. Porque ele andava distâncias!Quem o conheceu sabe muito bem disso.Dias antes de falecer, contam que ele começou a reclamar e dizem que dizia assim:

Oh meu Jesus: – Porque que eu não posso mais andar?

Eu que sempre fui um homem bom? Me ajude a voltar a andar, quero ir visitar meus amigos.

E falava alto! Foi então que o seu sobrinho, o “Jeca”, ouviu a reclamação e disse:

-Bom?! E aquele fulano de tal que você deu uma paulada? Lembra?!

O Barduíno olhou e disse! Cale a boca! Vai que Jesus escuta! Daí sim que nunca mais eu volto a andar!

Também tem uma pessoa que é um verdadeiro personagem, muito prestativo, trabalhador, enfim, uma pessoa muito simples e que todo mundo conhece e quer bem. Duvido quem não conhece o "VAVÀ" que foi casado com a dona Rosa que era chamada de "Rosa do VAVÀ" E ele dizia que tinha se casado com uma flor! Mas aconteceu que depois de tantos anos o VAVÀ ficou viúvo, lamentavelmente, sem sua Rosa...

 

Porém, certo dia surgiu a notícia que o Vavá iria se casar novamente e pasmem , com a irmã da primeira mulher já falecida! Casar com a cunhada tudo bem, mas economizar sogra VAVÀ? Fala sério!

Em tempos mais antigos ainda tinha uma senhora, a dona Rita, sempre andava de salto e onde passava deixava o chão cheio de buraquinhos (ela tinha problemas mentais e as crianças morriam de medo dela quando ficava agitada).

Outro personagem bem conhecido de antigamente foi o "JUVENAL"- O Mudinho, pois ele bebia e assustava muita gente, principalmente quando começava a gritar.

Também tivemos o SR. Manoel que recebeu o apelido de "MANOEL TAIPA", quando a piazada o chamavam de TAIPA, ele jogava pedra neles.

E do Chico você lembra? Ele era cadeirante. Apelidaram-no de "Chico Tripa" e ele também ficava muito bravo se o chamassem pelo apelido. Com razão né?

Também convivemos por muitos anos com outros personagens, mas esses eram de Ribeira, porém estavam sempre por aqui. Eram eles o Sr Francisco, popular "CHICO BARATA" e o SR. Faustino. Tivemos ainda o Tal de "Carlinhos Manco", esse era um homem maroto desrespeitava as pessoas. E atualmente temos o "Homem do Pau", que convive por aí, na região e todos o conhecem. A maioria já faleceu. Mas são as pessoas que mais se destacaram na cidade.

E o Sr. Eurípedes, Você conhece?Esse homem também é uma lenda! Ele canta, conta histórias, faz versos e declama poesias. Tem todos os sobrenomes que se possa imaginar!
Ele é do sertão , mas sempre está na Barra Grande e no Porto Novo, na casa de alguns conhecidos , é solteiro e não tem filhos.Esse é o verdadeiro caboclo mateiro de verdade.
Uma foto dele pra recordar , em breve  a Folha vai fazer um vídeo com ele, aguardem!

Da Coletânea Adrianópolis em memória(por Lúcia Santos).